Marco Galvão/CBF
Marco Galvão/CBF

Brasileiro Sub-20 estreia novo formato, e dirigentes valorizam desenvolvimento dos atletas

Edição passa por mudança no regulamento, e equipes farão menos jogos em relação ao ano anterior

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2022 | 18h15

O Campeonato Brasileiro sub-20 começa, neste sábado, com os 20 melhores colocados no Ranking Nacional de Clubes de 2022. Na atual temporada, o torneio está dividido em dois grupos de dez equipes, e os quatro melhores de cada chave avançam para as quartas de final. As partidas na primeira fase serão disputadas em turno único.

Para esta edição, a competição passou por uma mudança no formato. No ano passado, as equipes fizeram mais partidas na primeira fase, com os 20 times jogando entre si. O campeão de 2021 foi o Internacional, que venceu o São Paulo na decisão.

Com um projeto a longo prazo nas categorias de base, o time colorado também chega nesta temporada como candidato ao título. O gerente executivo da base do Inter, Gustavo Grossi, destaca que o Brasileirão sub-20 é a competição mais perto do nível profissional e a melhor transição do futebol brasileiro, pois evidencia o evidencia o nível técnico dos jovens em desenvolvimento.  

“É uma categoria que une três safras de diferentes idades, e cada um dos times decide a faixa etária que quer desenvolver. Alguns trabalham com muitos jovens e outros com os últimos anos da categoria, cada um com seu perfil de políticas esportivas. É a competição de base mais importante não só do Brasil, mas da América”, completa o executivo do clube gaúcho.

Esta é a oitava edição do Campeonato Brasileiro Sub-20, e os clubes têm aproveitado cada vez mais a competição para preencher o calendário da base. Além disso, também utilizam os jogos como parâmetro para analisar quais são os atletas mais preparados para atuar no profissional.

O técnico Júnior Câmara, do Fortaleza, que está no Grupo B, tem uma expectativa positiva para a disputa do torneio. “Pelo número de atletas remanescentes do ano passado e as boas aquisições no mercado, montamos um elenco mais equilibrado. Temos a esperança de fazer bons jogos”, conclui.

Diferente das outras competições, o Sub-20 é valorizado pelos analistas, porque é a única competição que consegue juntar três faixas de idade na mesma categoria, uma vez que também pode englobar atletas com 18 e 19 anos. Diretor de futebol com larga experiência em captação de atletas com passagens por Atlético-MG, São Paulo e Grêmio, Júnior Chávare acredita que o Brasileiro Sub-20 é o torneio que permite uma maior quantidade de jogos com nível técnico melhor.

“Quanto mais jogos você conseguir com equipes de excelência, mais agregará valor para a formação dos atletas. Essa é uma fase importante para os jogadores adquirirem desenvolvimento tático e técnico para atuarem no profissional. Uma competição como essa permite uma minutagem necessária para a chegar à equipe principal”, acrescenta o executivo de futebol, que se despediu no início do ano passado da coordenação das categorias de base do Atlético Mineiro após conquistar o Brasileiro Sub-20 de forma inédita. Além do título recente, o diretor ajudou na revelação de jogadores importantes, inclusive para a seleção brasileira, como o zagueiro Éder Militão (Real Madrid), o meia Arthur (Juventus) e os atacantes Everton Cebolinha (Benfica) e David Neres (Ajax).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.