Brasileiro: turno e returno em 2003

O Campeonato Brasileiro da primeira e segunda divisões terá novo formato a partir do segundo semestre de 2003. A competição será disputada no sistema de turno e returno, a classificação deverá ser por pontos corridos e os jogos serão realizados apenas nos fins de semana. As mudanças foram aprovadas em reunião realizada pelo GTE ? Grupo de Trabalho Especial sobre Futebol do Ministério do Esporte e Turismo, que sob o comando de José Portella, teve a participação de Fábio Koff, presidente do Clube dos Treze, senador Geraldo Althoff, relator da CPI do Futebol, Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB, Júlio Mariz, representante da Globo Esportes, e os ex-jogadores Raí e Reinaldo. O torneio deverá ser disputado durante dez meses, alongando a temporada até maio de 2004 ? no modelo atual, que deveria valer para os próximos quatro anos, a disputa vai de agosto a dezembro. O novo sistema do campeonato vai garantir a receita para os clubes das duas primeiras divisões e ainda permitirá que aumentem sua renda participando de competições de caráter eliminatório, com jogos no meio da semana. Também vai acabar com um dos grandes problemas do futebol brasileiro atual, que é o ?mata-mata?. Na fase final dos torneios regionais e na Copa do Brasil ? que utilizam o sistema ?, por exemplo, a participação da maioria das equipes foi abreviada e elas ficaram sem fonte de renda, algumas permanecendo inativas até cinco meses durante o ano. Os Campeonatos Estaduais, que serão disputados pelos times de terceira divisão, vão seguir o modelo do Brasileirão, com sistema de turno e returno com pontos corridos e atividades durante dez meses. O calendário aprovado pelo GTE prevê férias para os clubes nos meses de junho e julho, período em que são disputados os torneios internacionais de seleções. O GTE decidiu também diminuir o número de participantes do Brasileiro ? de 24 para 20 clubes por divisão. Para alcançar esse número, nas temporadas de 2003, 2004 e 2004/2005 quatro clubes serão rebaixados e apenas dois vão subir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.