Brasília espera jogo com ?baile-funk?

A Federação Metropolitana deFutebol de Brasília transformou as horas que antecederam o jogo deste domingoda Seleção Brasileira com o Chile num baile funk ao ar livre. O sistemade som montado no Estádio Mané Garrincha era de fazer inveja às grandesbandas. O som ecoava limpo e alto pelas arquibancadas. Não havia quemconseguisse ficar sem balançar o corpo. O show foi comandado por um DJe por um apresentador, desses de auditório, que tentava levantar oastral da moçada o tempo todo.Conforto no Mané Garrincha não existe. Nem para o torcedor nem paraquem trabalha. A CBF, quando aprovou a partida, preocupou-se apenas comas condições do gramado. A grama estava alta mas foi aparada a pedidodo técnico Parreira. Os lugares mais bem localizados ficavam em trêscamarotes construídos para receber convidados de empresaspatrocinadoreas. Nesses setores, todos ficaram sentados em cadeiras,com serviço de alimentação durante a disputa.Também não houve espaço para qualquer contratempo. O policiamento foiostensivo desde três horas antes de a partida começar. Havia dois milpoliciais trabalhando, a maioria dentro do estádio. O Choque, com seusescudos e cães da raça pastor alemão, posicionou-se mais próximo aosbancos de reservas. A federação local ainda contratou por R$ 60 osserviços de 300 seguranças, que organizaram os setores privativos doMané Garrincha. Às 2h da tarde, o estádio já tinha metade de suacapacidade tomada. Perto das 3h começou um show do Fala Mansa. Elestocaram num espaço improvisado na pista de atletismo, de frente para asnumeradas. O estádio foi ao delírio com o remelexo da banda, que pediuenergia positiva para o Brasil. Daniela Mercury cantou o Hino Nacionale Latino alegrou o intervalo. O Ministério do Esporte e da Cultura do governo Lula fizeram bonito aopromover no estádio ontem a campanha ?Ler também é uma Paixão?,distribuindo um livro de bolso, de 16 páginas, com crônicas do escritorgaúcho e um apaixonado por futebol, Luís Fernando Veríssimo. Ascrônicas escolhidas foram o Apito, Futebol de Rua e A Aliança. Otorcedor de Brasília abriu mão de se manifestar contra a atual políticado governo e seus escandâlos. O governador do Distrito Federal, JoaquimRoriz, recebeu seus convidados num bonito camarote.Mais dinheiro - Segundo a Federação de Brasília, a CBF lucrou com asbilheterias do Mané Garrincha cerca de R$ 1,7 milhão. 39.600 ingressosforam vendidos a preços que variaram de R$ 70 a R$ 300. Desse total, R$200 mil foram gastos com a organização do evento. A federação defutebol da Capital Federal arrecadou R$ 120 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.