Divulgação
Divulgação

Breno dá primeiro passo no São Paulo para voltar a ser profissional

Atividade com lesionados foi a primeira desde que assinou com o Tricolor; prazo de retorno é incerto

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2015 | 07h00

Para qualquer outro, seria apenas uma sessão de exercícios com três companheiros lesionados, mas para Breno a última segunda-feira teve gigantesco valor emocional. Dois anos e meio após atingir o fundo do poço na Alemanha e ir parar na cadeia por ter incendiado a própria casa, o zagueiro fez ontem seu primeiro trabalho para voltar a ser um atleta profissional.

Ao lado de Rodrigo Caio, Lucão e do recém-contratado Daniel, ele fez atividades de reforço muscular e condicionamento. É impossível, no entanto, estipular uma data de retorno: antes de tudo Breno precisará “reaprender” a ser um jogador de alto rendimento.

Isso indica que, além do pesado trabalho físico, ele terá de mostrar qualidade nos treinos para que voltar a vestir a camisa do Tricolor em um jogo seja um sonho realizado.

A diretoria sempre tratou o caso com cautela e está de acordo com o planejamento traçado. Breno não sofrerá pressão para acelerar os passos e só jogará quando se sentir plenamente à vontade. Para auxiliá-lo fora das quatro linhas, a psicóloga do clube já foi incumbida de orientar Breno naquilo que os dirigentes chamam de “ressocialização”. Espera-se que o processo seja difícil.

A aposta é que a volta ao clube que o formou e de muitos profissionais de sua época ainda fazerem parte do São Paulo o ajudem na recuperação. “Foi gostoso rever o pessoal porque esse carinho deles me deu ainda mais motivação. Não vejo a hora de reencontrar todos os meus companheiros e o pessoal da comissão técnica. Eu me senti muito bem neste primeiro dia e, por isso, posso dizer que foi um momento maravilhoso”, disse ao site oficial do clube.

Quem já teve contato com o jogador diz que ele está visivelmente animado e preparado para retomar a carreira, embora saiba que deverá enfrentar dificuldades. Por enquanto, ele está evitando entrevistas, mas cogita dar uma coletiva de imprensa na semana que vem.

INFERNO

Breno despontou no Morumbi em 2007 e foi eleito o melhor zagueiro e a revelação do Campeonato Brasileiro daquele ano, quando o Tricolor faturou o pentacampeonato nacional levando apenas 19 gols em 38 jogos. Foi vendido para o Bayern de Munique, onde sofreu uma série de lesões graves e entrou em depressão.

Em setembro de 2011, um incêndio tomou conta de sua casa em Munique. Breno acabou considerado culpado pelo incidente e condenado a três anos e nove meses de prisão em julho do ano seguinte. Por bom comportamento, conseguiu primeiro o regime semiaberto e, depois, viu a Justiça determinar que fosse solto após cumprir dois terços da pena. Saiu da cadeia no fim de dezembro e voltou ao Brasil para passar as festas.

Nesse período, foi contratado pelo Tricolor como forma de ajudá-lo a retomar a vida. O vínculo vai até 7 de outubro, mas pode ser prorrogado.

Isso, porém, ainda é uma questão menor para Breno, algo muito distante para alguém que até o mês passado cumpria pena na Alemanha. Por enquanto, ele engatinha no sonho de voltar a jogar, mas, mesmo diante de tantos desafios e incertezas, não se deixa abater.

“Comecei o treinamento e sei a importância de seguir a programação passo a passo porque quero muito estar em campo em breve e fazer aquilo de que mais gosto: jogar bola.” 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCBreno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.