Briatore: Basta terminar as corridas

Depois de vibrar com Fernando Alonso pelo aumento da diferença de pontos para Kimi Raikkonen na liderança do Mundial, neste domingo em Silverstone, Flavio Briatore, diretor da Renault, foi taxativo: "Há apenas duas equipes, hoje, na Fórmula 1, a nossa e a McLaren. Mesmo que larguemos em último ainda assim chegaremos em 2.º ou 3.º. Portanto, para sermos campeões, a partir de agora, basta terminar as corridas." O maior responsável pela ascensão da Renault à condição de favorita para ser campeã, admitiu, neste domingo, depois da segunda colocação de Alonso."Eu temia essa corrida assim como tenho receio com a do Japão. Os dois traçados são ruins para nós." O desempenho do modelo R25 da Renault o surpreendeu. "O saldo maior dessa prova nem é o 2.º lugar de Alonso e o 4.º de Giancarlo Fisichella, mas o desempenho do nosso carro com as evoluções incorporadas, a confiança que nos deu para enfrentar o restante da temporada." Não fez média alguma: "Se apenas recebermos a bandeirada daqui para a frente a McLaren não tem como nos alcançar." Foi claro quanto ao que exigirá dos seus pilotos restando oito etapas para o encerramento do campeonato. "Trabalharemos para Alonso conquistar o título e Fisichella marcar o máximo de pontos para nos garantir o Mundial de Construtores." Nas voltas finais Alonso reduziu seu ritmo, quando estava a apenas um segundo de Juan Pablo Monotya, da McLaren, o vencedor. "Eu lhe pedi para não correr riscos, já estávamos na frente de Raikkonen (terceiro)." Como Alonso, Briatore afirmou que poderia ter vencido o GP da Grã-Bretanha. "Não fosse o fato de os comissários terem os braços curtos demais quando Alonso se aproximou de Jarno Trulli (Renault).Para os pilotos da McLaren, seus braços eram bem mais longos." Na 45.ª volta, Alonso se preparava para dar uma volta de vantagem em Trulli.Segundo Briatore, Alonso perdeu mais de dois segundos naquela volta porque os comissários não agitaram, como deveriam, a bandeira azul para o italiano da Toyota, obrigando-o a dar passagem para Alonso. Já quando era Montoya que se aproximava dos retardatários, os comissários agitavam freneticamente a bandeira azul, de acordo com o diretor da Renault.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.