Briga de torcidas deixa ao menos 78 feridos na Colômbia

A partida terminou com a vitória do Cali por 1 a 0; pelo menos 18 dos feridos foram esfaqueados

EFE e AP,

09 de março de 2008 | 02h53

Uma briga envolvendo as torcidas dos clubes colombianos América e Deportivo Cali deixou pelo menos 78 pessoas feridas, 18 delas apresentando ferimentos de armas brancas, na partida entre as duas equipes na cidade de Cali.  Veja também: Imagens do confronto entre as torcidas   O confronto irrompeu aos 37 minutos do segundo tempo, em meio á torcida "Barão Vermelho", do América, e se espalhou pelo estádio Pascual Guerrero. A polícia usou gás lacrimogêneo enquanto a torcida lançava fogos de artifício e tentava derrubar o alambrado entre a arquibancada e o campo.  Os ânimos se exaltaram quando o árbitro Wilman Roldan deixou de marcar um pênalti contra o Cali. O América protestou, jogadores trocaram socos e o técnico do América, Diego Umaña, agrediu o treinador do Cali, o uruguaio Daniel Carreño. O prefeito de Cali, Jorge Ivan Ospina, referiu-se a Umaña como o "responsável direto" pela violência e decretou o fechamento do estádio. Após a partida, que foi suspensa pelo árbitro três minutos antes do fim do tempo regulamentar, foram registrados novos enfrentamentos entre torcedores, a maioria do América, nas cercanias do estádio. A partida terminou com a vitória do Cali por 1 a 0.  Texto atualizado às 9h41

Tudo o que sabemos sobre:
BRIGACOLÔMBIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.