Briga deixa 3 palmeirenses no hospital

Três torcedores ficaram gravemente feridos no confronto entre cerca de 150 integrantes das torcidas de São Paulo e Palmeiras, na Marginal do Tietê, próximo à ponte do Piqueri, zona oeste da capital, na manhã deste domingo. Os torcedores seguiam, de ônibus, para São José do Rio Preto para assistir ao clássico entre as equipes. Segundo informações da 1ª Companhia do 18.º Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM), eles foram encaminhados para o Pronto Socorro da Vila Penteado.Os torcedores com ferimentos mais graves, em geral por causa de pauladas na cabeça, foram os palmeirenses Henrique Sabino dos Santos, Vinícius dos Santos Lisboa e Jéferson da Conceição, que passaram por cirurgias neste domingo.Outro torcedor do Palmeiras ferido foi Geriardi Gomes Macedo, assim como o são-paulino Eduardo Lopes de Oliveira, que já foram medicados e liberados em seguida.A PM, que tinha informado no final da manhã que havia ferido a bala, revelou que houve mesmo tiroteio entre os torcedores, mas ninguém foi baleado. Durante a revista no local da briga, no entanto, os policiais não encontraram nenhuma arma de fogo em poder dos detidos. Das dezenas de torcedores levados para o 28º Distrito Policial, sete permaneceram detidos até agora à noite.No Boletim de Ocorrência, os membros das duas torcidas eximiram-se da responsabilidade pela briga. Para os integrantes da torcida organizada palmeirense, Mancha Alviverde, os rivais da Torcida Independente teriam armado uma emboscada, próxima à Rodovia Anhangüera. Para os são-paulinos, no entanto, foram os palmeirenses que teriam iniciado a confusão. "É sempre assim, um acusa o outro, mas as brigas sempre se proliferaram", lamentou um investigador do DP, que preferiu não ter seu nome revelado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.