Briga entre torcida deixa dois baleados

Dois torcedores foram baleados neste sábado durante briga entre torcidas rivais. A primeira delas aconteceu às 10h30 na Avenida Águia de Aia, em Cidade AE Carvalho, Zona Leste. A outra foi por volta do meio-dia na Estação Ferroviária de Santo André, ABC. Os dois torcedores, um são-paulino e outro palmeirense, foram feridos no braço. Somente uma pessoa foi presa.Na Capital, a confusão aconteceu dentro do terminal de ônibus AE Carvalho. De acordo com a polícia, aproximadamente 80 torcedores do Palmeiras estavam esperando a condução que ia levá-los para o Estádio do Morumbi, quando um grupo de são-paulinos se aproximou já armado com paus e pedras. Os palmeirenses ainda tentaram recuar, mas acabaram cercados. Segundo o relato de uma testemunha que não quis se identificar, a torcida do São Paulo não usava uniforme do time. "Eles atiraram nos palmeirenses que responderam com rojões."De acordo com Polícia Militar seis viaturas foram ao terminal AE Carvalho, mas chegaram minutos depois da confusão. Um dos disparos acertou uma banca de jornal e outro feriu o braço esquerdo do são-paulino Cristiano Pedro da Silva, 18 anos. Ele disse à polícia não ter visto de onde partiu o tiro. Mesmo baleado, o rapaz foi preso em flagrante por tentativa de homicídio. De acordo com a PM, ele estava armado com um revólver calibre 38 e atirou cinco vezes na torcida adversária.Crime - Silva carregava um revólver com numeração raspada sem ter licença para usá-lo. Além da tentativa de homicídio, ele terá de responder por porte ilegal de arma. O rapaz não tinha passagens anteriores pela polícia. No 64º DP, em Cidade AE Carvalho, onde a ocorrência foi registrada, afirmou ter comprado a arma em uma feira do rolo em São Miguel Paulista, na Zona Leste. Ele não disse quanto pagou por ela, nem o nome de quem a vendeu. "Meu filho nunca foi agressivo, nem andou armado. Nem tem condições de comprar uma arma", afirmou Martina dos Santos Silva, 44 anos, mãe do rapaz. Ela contou ter recebido uma ligação do filho logo depois de ele ter sido preso. No telefonema, Silva dizia que, para incriminá-lo, a PM havia colocado uma arma em suas mãos. "Estava lavando minha geladeira quando me ligaram dizendo que ele estava preso. Fiquei desesperada."Logo depois de ser ferido, o rapaz foi socorrido pela Polícia Militar e por pouco não levou outro tiro. "Quando eu o levava para o hospital, passou uma moto com dois são-paulinos e um deles atirou na gente", contou o sargento Santos da 5ª Companhia do 2º Batalhão da Polícia Militar. Não houve feridos.Por volta do meio-dia em Santo André, o palmeirense Daniel Cardoso de Oliveira, 27 anos, foi baleado no braço durante uma briga entre torcidas. A confusão aconteceu no Terminal Ferroviário da cidade. Levado para o Pronto-Socorro do Hospital Municipal, Oliveira recebeu cuidados médicos e foi liberado em seguida. O rapaz se recusou a ir à delegacia registrar ocorrência, mas policiais afirmaram que irão, em breve, chamá-lo para depor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.