Briga Mancha e TUP: fecha-se o cerco

A briga de domingo entre as torcidas Mancha (Alvi) Verde e TUP (Torcida Uniformizada do Palmeiras), antes do clássico contra o Santos, no Parque Antártica, poderá resultar em uma punição muito severa. Como a polícia dispõe de imagens da briga, os torcedores que forem identificados poderão ser indiciados criminalmente. "Geralmente, essas brigas ocorrem longe dos estádios e das câmeras. Dessa vez, porém, temos imagens. Esse material será analisado e os responsáveis, identificados", disse o promotor de justiça Fernando Capez. Nesse caso, Capez deverá chamar promotorias criminais para atuar conjuntamente. Até o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Crime Organizado) pode ser acionado. "Minha promotoria é cível. Só posso atuar na esfera da torcida. Todos os procedimentos que estão na minha alçada serão realizados", prometeu.Até hoje, os torcedores presos por brigas nos estádios são indiciados por crime de rixa. São intimados a comparecer a um juiz e recebem uma punição leve (multa ou prestação de serviços comunitários). Agora, os que forem identificados pela polícia nos vídeos poderão responder criminalmente pelo delito. Com base no material apresentado pela polícia, Capez poderá aplicar uma multa na torcida organizada ou até mesmo pedir a sua extinção. "Isso depende do que eu vir nos documentos e vídeos que eu receber."O coronel Marcos Marinho de Moura, comandante do 2º Batalhão de choque da PM, responsável pelo policiamento em dias de jogo, passou o dia de ontem preparando o material. Além disso, já notificou a Federação Paulista de Futebol que as duas torcidas - Mancha Verde e TUP - não poderão mais entrar uniformizadas nos estádios, nem levar faixas ou bandeiras. "Há uma resolução da FPF que proíbe o acesso de uniformizadas nos estádios. Não foi revogada, apenas suspensa em função de um acordo com as torcidas. Como a Mancha e a TUP descumpriram esse acordo, estão proibidas de entrar nos estádios."A medida vale já para o jogo de quinta-feira, contra o Deportivo Táchira, pela Copa Libertadores, e envolve apenas Mancha Verde e TUP. "Se as torcidas de outros times não se comportarem, receberão as mesmas restrições", ameaça Marinho.O coronel estuda, ainda, outras medidas para coibir os atos violentos praticados pelas torcidas organizadas. "Posso até adotar um ato administrativo contra as torcidas organizadas se continuarem ameaçando a segurança pública. Eu sei que será uma briga de advogados, mas o direito de muitos sobrepõe ao de alguns. Não se pode esquecer disso", disse o coronel. Ele admite, no entanto, que será uma causa muito polêmica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.