Patrik Stollarz/AFP
Patrik Stollarz/AFP

Broos exalta campanha de Camarões, mas critica arbitragem de jogo contra Alemanha

Técnico não concorda com expulsão de Mabouka após lances com Emre Can

Estadão Conteúdo

25 de junho de 2017 | 21h34

O treinador de Camarões, Hugo Broos, criticou a arbitragem do colombiano Wilmar Roldan na derrota de sua equipe por 3 a 1 para a Alemanha, neste domingo, em Sochi, que custou a eliminação da seleção africana da Copa das Confederações.

Aos 18 minutos do segundo tempo, o camaronês Mabouka disputou uma bola com Emre Can e cometeu falta no alemão, que ficou no chão. Então, o árbitro Wilmar Rondan deu o cartão para um jogador errado (Siani), que não tinha nada a ver com a jogada. Após ser alertado com o recurso do árbitro de vídeo (VAR), Roldan mudou a cor do cartão, mas continuou punindo o atleta errado. Depois, o árbitro corrigiu a falha e expulsou o homem certo.

Mas a punição foi considerada exagerada por Hugo Broos. "O árbitro não nos deu explicações. Foi uma falta, nisso concordamos, mas os dois jogadores levantaram muito a perna em busca da bola. Não entendo porque só o meu jogador levou o cartão vermelho", criticou o comandante da seleção camaronense.

Apesar da derrota, Broos fez questão de enaltecer o rendimento dos jogadores de Camarões durante a competição. "Não estou surpreso com o nosso desempenho aqui e sempre disse que Camarões tem uma das melhores equipes da África, mas que ainda há uma lacuna em relação às equipes de classe mundial, como a Alemanha", finalizou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.