Érico Leonan / São Paulo
Érico Leonan / São Paulo

Bruno Alves pede São Paulo ligado não só no artilheiro do Brasileiro

Zagueiro reconhece bom momento do Santos de Gabigol e revela segredo para melhora defensiva do time tricolor

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

12 Setembro 2018 | 05h00

O São Paulo prepara suas armas para segurar o embalado Santos, seu adversário do próximo domingo, na Vila Belmiro. Em especial, um jogador do oponente tem chamado a atenção: Gabriel, artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 12 gols. Apesar da boa fase do atacante santista, o zagueiro Bruno Alves acredita que a equipe não deva focar apenas em uma peça.

"Nossa preocupação tem de ser geral, com toda a equipe do Santos. O time vem bem, de uma boa sequência e crescendo. São grandes jogadores no setor de frente e precisamos estar ligados os 90 minutos", cobrou o defensor.

Uma sequência de cinco jogos de invencibilidade incluindo três vitórias fez o rival tricolor subir na tabela. O Santos já é o oitavo colocado, com 31 pontos e uma partida a menos. Gabriel foi peça fundamental para a recuperação do time de Cuca, marcando cinco gols ao longo dessa série invicta.

A solução para conter o ímpeto ofensivo do adversário pode ser justamente a defesa do São Paulo. O time tem a quarta menos vazada do Brasileirão, com 19 gols sofridos – Grêmio (12), Internacional (13) e Palmeiras (16) vêm à frente. O segredo para desempenho tão bom, Bruno Alves acredita estar no equilíbrio entre os setores da equipe.

"Não dá pra separar só o setor defensivo, pois a marcação começa lá na frente. Você vê Nenê e Diego Souza, jogadores experientes dando o máximo ali pra fechar espaços e dando combate. Nosso meio-campo também é muito forte, então, é um conjunto, uma organização tática que faz com que a equipe seja pouco vazada e sofra pouco. Claro que os defensores de origem também têm seus méritos, mas tanto na frente, quando os gols saem, quanto atrás, quando não saem, o mérito precisa ser de todos", analisa o são-paulino.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.