Divulgação
Divulgação

Bruno César aceita reduzir em 50% o salário para jogar no Palmeiras

Meia que se destacou no Corinthians chega com contrato de produtividade e fica até dezembro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2014 | 04h59

SÃO PAULO - Depois de dois meses de negociação, nesta quinta-feira, o Al Ahli, da Arábia Saudita, liberou e Bruno César é o novo reforço do Palmeiras. O jogador de 25 anos fica no clube até o fim da temporada, com opção de compra e cercado de muita expectativa.

O meia vai vestir a camisa 7 e chega com o preço fixado em 5 milhões de euros (R$ 16,4 milhões). O Palmeiras ainda não confirma a contratação, já que o contrato não foi assinado, mas representantes dos clubes e o empresário do atleta, Marcos Casseb, confirmam o acerto informalmente e avisam que hoje deve acontecer o anúncio oficial.

Para assinar com o Palmeiras, Bruno César recusou propostas da Turquia, Catar, Emirados Árabes, Ucrânia, Rússia e Itália, além de sondagens de clubes brasileiros.

Ele chega com contrato de produtividade em que terá uma redução de quase 50% do que recebia na Arábia. O jogador já defendeu o Palmeiras e saiu em 2007, após se destacar no Palmeiras B, mas não conseguir espaço no time principal. Ele passou ainda por São Paulo e Bahia, nas categorias de base, e no principal atuou no Grêmio, Canoas, Noroeste e Santo André.

Destaque do time do ABC no vice-campeonato paulista de 2010, foi para o Corinthians e repetiu o sucesso, despertando o interesse do Benfica, em que ficou por duas temporadas. Em 2013, defendeu o Al Ahli.

REVIRAVOLTA

O lateral-direito Jorge Moreira, do Libertad, do Paraguai, já foi descartado pela diretoria do Palmeiras, mas o caso pode sofrer uma reviravolta. Os direitos econômicos do atleta são divididos entre o Libertad e um grupo de investidores. O Palmeiras tinha acertado com os paraguaios, mas não teve acordo com a outra parte.

Tudo mudou porque o grupo de investidores, que iria pagar a parte do Palmeiras, resolveu conversar com os empresários que detêm os outros 50% para convencê-los a tirar o atleta do Libertad, registrar em um clube pequeno e repassá-lo ao Palmeiras por empréstimo.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolMercado da Bola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.