Divulgação
Divulgação

Bruno César rejeita propostas e confirma vontade de defender o Palmeiras

Meia insiste em defender o time alviverde, embora tenha sido procurado por clubes do exterior e do Brasil

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2014 | 04h53

SÃO PAULO - A longa novela que se tornou a negociação do Palmeiras com o meia Bruno César parece longe de chegar a um final. O jogador do Al Ahli faz questão de defender o time alviverde e a postura parece incomodar os árabes, que tentam negociá-lo com outros clubes.

“O Al Ahli espera por uma compensação financeira. Chegam algumas propostas que se enquadram no que eles querem, mas nós nem abrimos negociação. A prioridade do Bruno César é jogar no Palmeiras”, avisou o empresário do atleta, Marcos Casseb, em entrevista ao Estado.

Nesta sexta-feira, o empresário se reuniu com representantes do Palmeiras, mas nada mudou. O fato é que os árabes estão demorando para dar uma resposta porque esperam que o jogador mude de ideia e aceite uma das propostas que estão chegando. Recentemente, ele foi contatado por clubes do Brasil e também recebeu propostas da Turquia, Catar, Emirados Árabes, Ucrânia, Rússia e Itália.

“É uma situação delicada, porque o Bruno precisa definir onde ele vai jogar. Nada está descartado, inclusive a possibilidade dele ficar no Al Ahli. Ele quer jogar no Palmeiras, mas os árabes são donos dos direitos dele e eles precisam aceitar isso”, disse o agente, claramente insatisfeito com a indefinição.

Durante a entrevista coletiva nesta sexta-feira, o técnico Gilson Kleina admitiu que conversou com o jogador recentemente e torce pelo acerto. “Cheguei a falar com o jogador, que está na Árabia. Ele ficou superfeliz. É um nome que pretendemos, porque tem muita qualidade e vai nos ajudar muito se vier”, analisou o treinador.

O clube anunciou a numeração oficial para a temporada e não definiu quem serão os camisas 2, 7 e 9. A tendência é que Bruno César fique com a camisa sete.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolMercado da Bola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.