Bruno cobra 'mudança de mentalidade' no Palmeiras

'Se ficarem os mesmos jogadores ou vierem reforços, tem que jogar com gosto de ser campeão', disse o goleito

AE, Agência Estado

06 de dezembro de 2010 | 13h35

Capitão do Palmeiras pela primeira vez no jogo contra o Cruzeiro, no último domingo, em Sete Lagoas (MG), o goleiro Bruno foi um dos principais destaques do time na derrota de 2 a 1 para o rival mineiro. Ao fazer pelo menos duas grandes defesas, ele mostrou que tem competência para seguir servindo o clube, que já conta com Marcos e Deola como principais nomes para o gol atualmente.

Veja também:

linkLuiz Felipe Scolari diz que vai apostar em jovens no Palmeiras

Em entrevista ao site oficial do Palmeiras, Bruno aproveitou o fato de ter fechado bem esta temporada para cobrir uma nova postura dos jogadores do clube para a temporada de 2010. "Acho que precisa mudar a mentalidade, ter uma mentalidade mais vencedora. Se ficarem os mesmos jogadores ou vierem reforços, tem que jogar com gosto de ser campeão. Temos o Paulistão e a Copa do Brasil no começo do ano e vamos brigar pelas duas. A cada ano a gente sabe que a pressão e as cobranças aumentam, mas se mudar a mentalidade, o Palmeiras tem totais condições de voltar ao topo do ranking nacional e até internacional", afirmou o jogador.

Bruno, porém, admitiu que ainda não sabe se irá seguir no Palmeiras no próximo ano. "Para mim foi um ano proveitoso, consegui atuar bem nessas últimas partidas do Campeonato Brasileiro, marquei presença e provei que tenho condições de ser goleiro do Palmeiras. Se tiver de ficar em 2011 eu vou ficar, é algo que eu sempre quis e não estou há 14 anos no Palmeiras por acaso. Agora, se tiver de ser negociado e o Palmeiras não me quiser mais, vou procurar alguma outra coisa. No momento, ainda não dá para falar o que vai acontecer", revelou.

O goleiro ainda comentou a experiência inédita de ter sido capitão do Palmeiras diante do Cruzeiro. "Foi fantástico, fiquei emocionado. Só grandes jogadores que marcaram nome no Palmeiras usaram a faixa de capitão, exemplos de Marcos, César Sampaio, Edmundo, agora o Kleber (atacante). Comigo não foi diferente essa emoção, um motivo de muito orgulho. Espero poder ter mais chances futuramente", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.