Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Bruno Henrique comemora atuação em vitória do Fla e Juan se emociona em despedida

Atacante quase faz três gols, mas Gabigol aproveita rebote e decreta vitória rubro-negra no Maracanã

Redação, Estadão Conteúdo

27 de abril de 2019 | 23h34

Depois de marcar dois gols e de participar de outro gol do Flamengo na vitória sobre o Cruzeiro por 3 a 1, de virada, neste sábado, no estádio do Maracanã, as atenções deveriam se voltar para o atacante Bruno Henrique, agora com 11 gols com a camisa rubro-negra. Mas houve ainda na noite a despedida do zagueiro Juan do futebol, aos 40 anos, e nos acréscimos a lesão grave de Rodrigo Caio, que bateu o rosto e desmaiou após choque com Dedé, do Cruzeiro.

Para o herói da noite, foi um belo começo no Campeonato Brasileiro, afinal quebrou uma série invicta de 22 jogos do atual campeão mineiro. "Quando a gente conseguiu o empate logo após sofrer o gol eu senti que dava para ganhar. Sabia que nosso time poderia se acertar no intervalo e voltar com tudo no segundo tempo. Deu certo. Nós fomos para cima deles e vencemos. Fico feliz de ter marcado estes dois gols, mas todos meus companheiros fizeram parte desta importante vitória em cima de um dos times mais fortes do Brasil neste momento", comentou o herói da noite.

A lesão e Rodrigo Caio apagou um pouco o espírito de festa que era esperado na despedida de Juan. Quando o time vencia por 2 a 1, várias vezes a torcida gritou por ele. O próprio Bruno Henrique se ofereceu para sair. Mas o técnico Abel Braga só fez a troca aos 45 minutos, pouco depois que Gabriel marcou o terceiro gol e definiu o placar.

A torcida vibrou nos toques de bola do agora ex-zagueiro de 40 anos, que no ano passado sofreu uma grave lesão no tendão de Aquiles do pé direito. No final do jogo ele foi levantado pelos companheiros, deu a volta olímpica e guardou a bola do jogo.

"Uma bela despedida, como começou (aos 17 anos). É sempre difícil parar de fazer aquilo que você mais ama, mas estava bem convicto de que devia parar. Eu me preparei desde a minha contusão para este momento", disse Juan, que antes do jogo recebeu uma camisa especial do presidente Rodolfo Landim.

Ele disputou 332 jogos pelo Flamengo, marcou 32 gols e divide com Junior Baiano a melhor marca de maiores zagueiros artilheiros do clube da Gávea. Além disso, disputou duas Copas do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.