Juan Ignacio Roncoroni/AFP
Juan Ignacio Roncoroni/AFP

Bruno Henrique detona VAR e árbitro e valoriza empate do Flamengo na Argentina

Equipe de Rogério Ceni teve o zagueiro Thuler expulso com ajuda do vídeo na partida desta terça-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 00h15

O Flamengo conquistou importante resultado pela partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Na noite desta terça-feira, no estádio El Cilindro, em Avellaneda, na Argentina, os comandados do técnico Rogério Ceni seguraram o empate, por 1 a 1, com o Racing. Após o duelo, o atacante Bruno Henrique detonou a arbitragem do venezuelano Alexis Herrera e a interação com o árbitro de vídeo (VAR).

O alvo da crítica era a marcação que levou ao cartão vermelho do zagueiro Thuler, aos 36 minutos do segundo tempo. "O lance do Thuler, a expulsão, o Lisandro (López) falou que foi falta para amarelo. O VAR tem que chamar ele para ele consultar, sendo que a decisão é dentro de campo. Não dá para entender. Se é o VAR que apita, se é o juiz dentro de campo que apita. O juiz deu o amarelo, não tem por que o VAR chamar ele", declarou o ponta rubro-negro.

E depois completou: "Todo mundo viu que foi uma falta normal. Fica difícil. Nosso time está de parabéns pela partida que fizemos. Fizemos uma grande partida. Temos mais 90 minutos para conseguir essa classificação".

O confronto de volta acontece na terça-feira que vem, no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). Se o resultado se repetir, haverá pênaltis, enquanto os brasileiros avançam com igualdade sem gols. Os argentinos precisam vencer ou empatar por 2 a 2 em diante, por conta dos gols como visitante. Boca Juniors ou Internacional será o oponente nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.