Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Bruno Henrique é parado em blitz, não faz o bafômetro e tem CNH investigada

Caso seja comprovada a falsificação do documento, pena pode chegar a seis anos de prisão

Fernanda Nunes/RIO, O Estado de S.Paulo

29 de fevereiro de 2020 | 11h59

O atacante do Flamengo Bruno Henrique está sendo investigado pela Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Parado numa blitz da 'Lei Seca', uma operação de fiscalização do trânsito para quem abusa de bebidas, ele apresentou uma carteira de habilitação que não foi reconhecida pelo sistema de segurança Infoseg e pelo Detran.

O atacante dirigia na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade, quando foi abordado pelos agentes da 'Lei Seca' e se negou a fazer o teste do bafômetro, aquele em que o motorista tem de assoprar o aparelho.

Na 16ª DP, da Barra da Tijuca, Bruno Henrique prestou depoimento e teve a carteira de motorista apreendida. O documento foi encaminhada para perícia no Instituto de Criminalista Carlos Éboli (ICCE). A Polícia Civil, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a investigação está em andamento e, caso seja comprovada a falsidade do documento, o jogador poderá ser indiciado por uso de documento falso. O crime prevê pena de até seis anos de prisão. 

Atualmente machucado, Bruno Henrique está fora de combate para o duelo com a Cabofriense neste sábado, e também desfalca o Flamengo no compromisso pela Libertadores no meio da próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.