Marcio Fernandes|Estadão
Marcio Fernandes|Estadão

Bruno Henrique muda de posição e dá volta por cima no Corinthians

Volante marca um dos gols na vitória contra a Ponte Preta por 3 a 0

VÍTOR MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

27 de maio de 2016 | 07h00

Bruno Henrique se emocionou ao celebrar seu belo gol em Itaquera. Ele bateu firme, da entrada da área, e marcou o segundo da vitória do Corinthians contra a Ponte Preta por 3 a 0, a primeira do time em cinco jogos, a primeira pelo Brasileiro.

Nesse período de um mês sem um resultado positivo, as eliminações no Paulistão e na Libertadores geraram uma série de cobranças e questionamentos. Bruno Henrique foi um dos atletas criticados – e vaiados – pela torcida.

“O torcedor, às vezes, não gosta de algum jogo, é normal. Eu mesmo vinha chutando e errando bastante. Só que estou treinando, e estamos todos trabalhando sério e nos dedicando muito”, afirmou Bruno.

O desabafo de Bruno e de outros jogadores deu o tom da vitória sobre a Ponte Preta. Cristian, que voltou ao time titular, deixou o campo afirmando que sempre acreditou no seu futebol. Tite disse que se sentia pressionado e estava incomodado com os 36 dias sem vitórias.

Nesta quinta-feira, a torcida se reconciliou com o time, apesar de ainda vaiar o atacante André, agora reserva, que só entrou no segundo tempo, quando o jogo já estava decidido. Tite se irritou e gritou para a torcida “cala a boca”.

O bom futebol de Bruno Henrique, e de outros jogadores, tem relação direta com as mudanças impostas pelo técnico Tite, que refez seu esquema, trocou jogadores de posição e barrou atletas que estavam em baixa.

Bruno Henrique foi cobrado por chutar ao gol e se apresentar mais no ataque. Porém, estava jogando em posição mais defensiva, como substituto de Ralf, um dos titulares que deixaram o clube em janeiro.

A entrada de Cristian, que mostrou nítida evolução física, fez com que Bruno mudasse de função. Agora ele ocupa a posição de segundo volante que, em tese, pertence a Elias, atualmente com a seleção nos EUA. “Hoje (ontem) ajudei mais na saída de bola. No começo do ano fiquei como primeiro volante, mas, mesmo jogando assim ano passado, você precisa de tempo para se adaptar a uma função que não é a sua”, disse Bruno Henrique.

Tite gostou do futebol que a equipe mostrou e com a nova formação tática. Ele mesmo disse que ficou surpreso com o resultado. Além da nova dupla de volantes, o treinador apostou em um meio de campo com um trio de articuladores (meias) com Marquinhos Gabriel, Guilherme e Giovanni Augusto

Mais velozes, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto jogaram pelas laterais do campo. E Guilherme pelo meio. Funcionou. E o trio fez um bom jogo contra a Ponte. Marquinhos Gabriel participou do primeiro gol (contra, anotado para Kadu) e Guilherme fez o terceiro, um golaço no ângulo.

A diferença em relação a derrota para o Vitória foi a efetividade do Corinthians. Criou e marcou seus gols, mesmo com o forte sistema de marcação da Ponte na etapa inicial. 

Ainda é cedo e não se pode prever até onde essa nova formação do Corinthians pode chegar. Mas não é impossível sonhar com vaga na Libertadores. Tite parece que encontrou um time titular, ainda que gere descontentamento entre aqueles que eram titulares, como Cássio.

A peça que falta: um centroavante. Pode ser Luciano, que ganhou a vaga de André, ou um reforço para a posição que o clube vá buscar no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.