Marcos Bezerra/Futura Press
Marcos Bezerra/Futura Press

Bruno Henrique pede desculpas e se diz arrependido de cusparada em adversário

"Cometi um grande erro", reconhece o jogador do Santos em nota oficial

Estadao Conteudo

21 de setembro de 2017 | 13h27

Um dia após a eliminação do Santos nas quartas de final da Copa Libertadores pelo equatoriano Barcelona, Bruno Henrique se manifestou sobre um dos momentos marcantes da derrota por 1 a 0, na Vila Belmiro, a sua cusparada em Damián Diaz. Através de uma nota oficial, ele pediu desculpas ao adversário, aos seus companheiros de clube e aos torcedores santistas, se declarando arrependido pelo seu ato.

"Ainda muito chateado com a eliminação, venho aqui pedir desculpa a todos pela minha atitude no jogo de ontem. Aos meus companheiros, aos torcedores e, principalmente, ao jogador do Barcelona com quem me desentendi. No calor do momento do jogo, cometi um grande erro ao cuspir em um adversário e colega de profissão. Me arrependo e peço desculpa", afirmou, na nota oficial divulgada no perfil de Bruno Henrique no Instagram nesta quinta-feira.

O incidente envolvendo Bruno Henrique aconteceu nos minutos finais da partida e provocou a expulsão do atacante pelo árbitro peruano Victor Carrillo. Além disso, o volante Gabriel Marques, do Barcelona, também recebeu o cartão vermelho no lance, pois revidou com um tapa o ato do jogador santista.

Após a partida, o técnico do Santos, Levir Culpi, assegurou não ter visto a cusparada dada por Bruno Henrique, mas avaliou que o ato foi provocado pelo descontrole emocional do seu jogador diante da catimba da equipe equatoriana.

"Não vi o lance, estou sabendo agora, através de vocês. Isso explica uma certa perda de equilíbrio, algo já previsto. Eles prenderam o jogo por uns dez minutos, conversaram com o árbitro, são espertos. E nós fomos imaturos", disse Levir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.