Botafogo/Divulgação
Botafogo/Divulgação

Bruno Silva quer Botafogo com força máxima em clássico com o Flamengo

Volante lembra que rival carioca deve passar por dilema semelhante

Estadao Conteudo

04 de setembro de 2017 | 20h30

O volante Bruno Silva defendeu que o Botafogo jogue com força máxima o clássico com o Flamengo, no domingo, pelo Brasileirão, apesar da proximidade do importante confronto com o Grêmio, pela idas das quartas de final da Copa Libertadores, no dia 13, três dias depois do clássico.

"Se eu fosse o Jair [Ventura] colocaria força máxima. Temos que pensar no Grêmio depois. Uma vitória contra o Flamengo nos deixa próximo do nosso objetivo, que é o G-6. Gosto de jogar e pedi para que possa fazer isso sempre. Domingo quero jogar contra o Flamengo. Respeito a opinião dele caso queira preservar, mas sabe que minha vontade sempre é de estar em campo", disse Bruno Silva, nesta segunda-feira.

O volante lembrou que o rival carioca deve passar por dilema semelhante, por fazer o jogo de ida da final da Copa do Brasil, nesta quinta, antes do clássico pelo Brasileirão. "Falo por mim que gosto de estar jogando. O Flamengo também terá uma decisão agora e o Jair fará as escolhas certas. Sabe que pode confiar em todo grupo, já foi assim em outros jogos."

Bruno Silva acredita que os três dias de intervalo entre o clássico e o primeiro jogo com o Grêmio serão suficientes para recuperar fisicamente o elenco botafoguense. "Esse tempo será vital para recuperar todo mundo e não teremos desculpas de desgaste", declarou.

O volante pregou que o time deve pensar jogo a jogo e focar agora somente no clássico. "A gente sabe que a torcida quer a Libertadores, mas temos que saber decidir. Essa semana agora é de pensar no Flamengo, no clássico pelo Campeonato Brasileiro. Nosso pensamento está no clássico. É um outro jogo, uma nova história e agora temos que vencer para nos consolidarmos no G6", projetou.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoBruno Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.