Brunoro desabafa: 'Parece que não houve planejamento'

Dirigente minimiza crise do Palmeiras e explica ausência de reforços de peso nesta temporada, em que o clube completa 100 anos

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2014 | 17h40

O diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, garante que não está preocupado com o momento vivido pelo clube, que não vence há oito rodadas no Campeonato Brasileiro e está ameaçado de cair para a zona de rebaixamento. O dirigente afirmou nesta quarta-feira que, apesar das críticas da torcida e do pedido por reforços, tudo está sendo feito dentro do estabelecido pela diretoria, com planejamento dentro de uma realidade financeira.

"Vivemos dois ciclos, com Gilson Kleina e com o treinador argentino, Ricardo Gareca. Neste segundo ciclo, por questões econômicas, trouxemos jogadores de outros países que, em teoria, têm um salário um pouco menor comparados aos brasileiros e 'europeus'. Infelizmente, não conseguimos fazer isso na janela quando se parou e tivemos de fazer com o barco andando. Dou razão para quem comenta que parece que não houve planejamento, mas foram questões casuais para contratar jogadores pedidos pelo treinador", disse o dirigente, em entrevista ao SporTV.

Brunoro avisa que o Palmeiras só vai investir em um grande nome caso o clube consiga recursos financeiros. "Eu sou muito frio. Claro que gostaria de ter o Ronaldinho Gaúcho, mas só traria se ele fosse autofinanciável. Eu não faria o clube financiá-lo. E não posso me comprometer com um salário com o jogador para, depois, ver se consigo patrocinador. E se eu não conseguir?", questionou o diretor palmeirense.

Embora tenha afirmado que houve planejamento na montagem do elenco, a torcida parece não concordar com isso. Tanto que está marcado mais um protesto contra a diretoria neste sábado, na frente da Academia de Futebol, na Barra Funda. Organizada pela Mancha Alviverde, antiga Mancha Verde, a ideia do movimento é pedir a saída de toda a diretoria de futebol do Palmeiras e a contratação de reforços.

O problema, porém, é que a janela de transferências para contratar jogadores que atuam no exterior se encerra nesta quarta-feira. Agora, o Palmeiras poderá acertar apenas com jogadores que atuam na Série B, estão sem clube ou então que fizeram no seis partidas por uma equipe da Série A.
Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrunoroBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.