Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Brunoro rebate Alan Kardec e critica reclamação do jogador

Dirigente do Palmeiras acusa atacante de ter sido ganancioso demais durante negociações para renovar contrato com o clube

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 Setembro 2014 | 15h45

O diretor-executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, rebateu nesta terça-feira declarações do atacante Alan Kardec. O jogador, que agora está no São Paulo, disse em entrevista ao SporTV na noite de segunda-feira que não renovou com o time alviverde por uma diferença de R$ 5 mil no salário. O dirigente negou a divergência. "Em um contrato de quatro anos, ele não poderia abrir mão de R$ 5 mil se gostasse do Palmeiras? Não é uma quantia grande nem para ele nem para o Palmeiras. E ele não nos deu a última palavra", disse Brunoro, em entrevista à rádio Jovem Pan.

Na ocasião da ruptura com o atacante, o clube negociava com Kardec a renovação do contrato. O jogador se irritou porque após a terceira tentativa para conversar com os dirigentes, o clube teria oferecido um contrato com valor diferente do que estava acordado previamente. 

"Ofereceram 'x' e foi aceito. Em uma nova reunião, baixaram e estaria fechado. Fomos para casa e depois, em uma nova reunião, teve outra redução. Isso chateou", disse o jogador, que pegou suas coisas e foi para o São Paulo.

Brunoro comentou ainda sobre os detalhes da negociação entre Palmeiras e Grêmio pelo atacante Hernán Barcos, no início do ano passado. Pelo acordo, o clube paulista receberia cinco jogadores do time gaúcho em troca do argentino. Porém, apenas quatro aceitaram vir (Leandro, Vilson, Léo Gago e Rondinelly). "Era para ser o Marcelo Moreno (atualmente no Cruzeiro), mas ele não quis vir e ficamos com 15% dos direitos econômicos. Quando ele for vendido, a gente recebe", explicou o palmeirense. Do pacote gremista, apenas Leandro continua no Palmeiras, e foi adquirido por cerca de R$ 8 milhões em janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.