Brunoro tenta Moreno e nega Libertadores em 2º plano

O diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, voltou a defender a decisão da diretoria de negociar o atacante argentino Hernán Barcos e negou que o clube esteja deixando a disputa da Copa Libertadores em segundo plano, mesmo que o zagueiro Vilson seja o único jogador da lista inicial de atletas cedidos pelo clube gaúcho que pode disputar o torneio continental.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2013 | 20h54

O Palmeiras estreia na Libertadores na próxima quinta-feira, às 22 horas, contra o Sporting Cristal, do Peru, em São Paulo. "Não é porque o Barcos foi embora que vamos abrir mão da Libertadores. Não abrimos mão de nada. Tenho muita convicção de que faremos uma boa campanha na primeira fase. Depois, poderemos fazer algumas trocas", disse o dirigente.

Brunoro garantiu que o Palmeiras não desistiu de envolver o atacante Marcelo Moreno na transação, mesmo com a recusa inicial do boliviano de trocar o Grêmio pelo clube paulista.

"Além do Vilson, vão chegar outros três. Além disso, as conversas com o Grêmio vão continuar mais para frente. Teremos Série B, Libertadores, Copa do Brasil. Até mesmo o Marcelo Moreno ainda pode chegar. Pode ser agora, dentro de alguns meses, no ano que vem... Muita coisa pode acontecer. Estamos trabalhando. Segue o barco", afirmou.

O dirigente voltou a avaliar como positiva a negociação que levou Barcos a deixar o Palmeiras. "Se eu não achasse que foi um bom negócio, não teria feito. Estou muito tranquilo. As pessoas só olham o presente, nós estamos olhando para o futuro. Tudo que combinamos está sendo feito. Não tem jeito, teremos de sofrer um pouco no início."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasJosé Carlos Brunoro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.