Elisabetta Baracchi / EFE
Elisabetta Baracchi / EFE

Buffon afirma que não queria ser reserva e recusou o Barcelona pelo Parma

Goleiro recebeu proposta para ser o substituto imediato do alemão Marc André Ter-Stegen

Redação, Estadão Conteúdo

23 de junho de 2021 | 11h44

O goleiro Gianluigi Buffon está de volta ao Parma após duas décadas longe do clube em que foi revelado. O acerto aconteceu na semana passada e nesta quarta-feira o veterano de 43 anos foi apresentado oficialmente. Para retornar ao seu time formador, o italiano abriu mão de propostas tentadoras, como a do Barcelona. O time espanhol a sondá-lo e fez uma proposta para ser o substituto imediato do alemão Marc André Ter-Stegen.

Buffon afirmou que havia outras ofertas em suas mãos, incluindo a do Barcelona, mas que não gostaria de ser reserva como nos últimos anos de Juventus. "Barça? Tive duas ofertas importantes, mas não queria voltar a ser reserva, estava cansado de ser o segundo. Fiz na Juventus por causa da ligação lá, mas a verdade é que não queria fazer de novo, como nos últimos dois anos", disse.

De acordo com o goleiro, que irá jogar na segunda divisão italiana nesta temporada, o Parma possui um projeto esportivo interessante. Além do aspecto técnico, o desejo de regressar ao primeiro clube da carreira pesou na hora de optar pela modesta equipe de seu país. "Teve outras ofertas interessantes, mesmo em equipas campeãs, mas no final o envolvimento emocional fez o resto", comentou.

Buffon assinou contrato com o clube até 2023, quando terá 45 anos de idade. O italiano fez a sua estreia em 1995, participou de 220 partidas com a camisa do Parma e conquistou três títulos: Copa da Uefa, Copa da Itália e Supercopa da Itália.

"Senti muita emoção. No final o emocional é o que nos move a continuar jogando em grande nível. Eu sabia que o Parma poderia me dar algo que nenhum outro time poderia. A sensação de se sentir em casa e estar num lugar que adoro", completou o goleiro, sobre o carinho com a equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.