Matteo Bazzi; EFE
Matteo Bazzi; EFE

Buffon diz que Itália buscará 'pequena proeza' e pede união de torcidas em Milão

Equipe recebe a Suécia nesta segunda-feira e goleiro reconhece que terá uma missão difícil

Estadao Conteudo

12 Novembro 2017 | 18h46

O goleiro e capitão Gianluigi Buffon reconheceu neste domingo que a Itália terá uma missão difícil nesta segunda-feira, quando recebe a Suécia pela repescagem europeia da Copa do Mundo da Rússia, em 2018, depois de perder o primeiro jogo por 1 a 0. Para ele, a equipe precisará de uma "pequena proeza" para se classificar.

+ Tite faz mistério em Londres e não revela time que enfrentará a Inglaterra

+ Giroud sofre lesão, é cortado e desfalca a França no amistoso contra a Alemanha

"Amanhã (segunda-feira) estamos obrigados a conseguir uma pequena proeza e necessitamos do apoio da torcida", conclamou o goleiro. "A pressão é forte e sabemos a importância da partida contra a Suécia. Para nós, para o país e para a história da seleção."

A tensão que envolve o jogo é tamanha que Buffon pediu às torcidas de Milan e Internazionale que estejam unidas para o duelo em Milão. "Não consigo controlar as pessoas, mas gostaria que cada torcedor no estádio deixasse a cor do seu clube em casa e só vestisse azul. É preciso uma certa disposição para aceitar alguns erros que cometeremos, assim, cada jogador poderá se sentir apoiado pela multidão."

Com 39 anos, Buffon poderia até se despedir da seleção em uma eventual eliminação. A importância do confronto, contudo, segundo ele acrescentou, impede que seja avaliado sob perspectivas individuais.

"Em vários momentos na minha carreira precisei tomar algumas decisões, mas esse é o destino de todos nós. Agora, a minha situação simplesmente não importa", completou o goleiro, campeão do mundo com a Itália em 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.