Oli Scarff/AFP
Oli Scarff/AFP

Buffon minimiza possível despedida da Liga dos Campeões: 'Não é um drama'

"O importante é que não seja a última partida para a Juventus na temporada", disse o experiente goleiro

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2018 | 15h38

Um dos maiores goleiros de todos os tempos, Gianluigi Buffon já avisou que vai se aposentar ao fim desta temporada. Por isso, provavelmente fará sua última partida na Liga dos Campeões nesta quarta-feira, quando a Juventus vai ao Santiago Bernabéu e tenta reverter a derrota por 3 a 0 diante do Real Madrid, sofrida em Turim no duelo de ida das quartas de final.

+ Confira a tabela do Campeonato Italiano

"O importante é que não seja a última partida para a Juventus na temporada. É uma possibilidade (que jogue sua última partida pela Liga dos Campeões), mas não é algo que me deprima e me inspire pensamentos negativos. Não é um drama. Inclusive, se pudesse, quando criança, teria assinado um contrato para jogar meu último jogo no Bernabéu contra o Real Madrid", declarou nesta terça-feira.

Depois do resultado da ida, a Juventus precisa vencer por pelo menos três gols de diferença se quiser seguir viva na Liga dos Campeões. Para se classificar no tempo normal, o placar terá de ser superior a 3 a 0. Por isso, Buffon admitiu que a tarefa será bastante complicada.

"A diferença inicial é realmente grande. A única maneira que conheço de tentar confiar é não se deixar levar pelo entusiasmo. Este tipo de partida devem acontecer lentamente, devemos lutar e lutar, jogar com orgulho. Então, talvez a partida aconteça de maneira positiva", considerou.

O discurso de Buffon foi entoado pelo técnico Massimiliano Allegri. O treinador do time de Turim concordou com o goleiro e pediu que a Juventus não se afobe. De acordo com o comandante, o time precisa entrar em campo como se o confronto estivesse empatado em 0 a 0.

"Não podemos tentar recuperar o resultado em 20 minutos. Nós precisamos jogar como se estivesse tudo zerado e, então, vamos ver. É importante deixarmos a partida de amanhã com algumas certezas que não tivemos no 3 a 0, que foi um resultado mentiroso", considerou o italiano.

Sem Dybala, suspenso pela expulsão no primeiro jogo, Allegri fez mistério sobre os dois companheiros de Higuaín no ataque. "Como vamos conseguir isso? Com três homens na frente: Higuaín, com certeza, e dois de três, entre Mandzukic, Cuadrado e Douglas Costa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.