Burkina Faso critica Fifa por remarcar jogo das Eliminatórias da Copa

Líder do grupo nas Eliminatórias, federação do país considerou que determinação foi abuso de poder

Estadão Conteúdo

19 de setembro de 2017 | 11h39

A Federação de Futebol de Burkina Faso criticou nesta terça-feira uma decisão da Fifa de refazer um jogo das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo de 2018 devido à atuação irregular do árbitro, banido do esporte por manipulação de resultado. O juiz apitou o jogo entre África do Sul e Senegal, vencida pelos sul-africanos por 2 a 1, em novembro do ano passado.

Segundo a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), os dirigentes burquinenses classificaram a determinação da Fifa como "abuso de poder" e apelaram contra a atitude da entidade que rege o futebol mundial. Os dirigentes de Burkina entendem que a realização do novo duelo poderá prejudicá-los na luta por uma vaga no Mundial da Rússia.

O árbitro em questão, Joseph Lamptey, foi banido pela Fifa e teve a carreira no futebol profissional encerrada pela CAS por manipulação de resultados. Ele conduziu uma polêmica arbitragem ao marcar um pênalti em favor da África do Sul, tendo anotado um toque de mão da defesa senegalesa, quando câmeras de TV mostraram claramente que a bola atingiu somente a perna do jogador.

Atualmente, Burkina Faso lidera o Grupo D do qualificatório africano com seis pontos em quatro jogos - tem vantagem sobre Cabo Verde pelo saldo de gols -, mas poderá perder a ponta da chave em caso de vitória dos senegaleses - que têm cinco pontos em três partidas - no novo jogo contra a África do Sul. Apenas o líder do grupo terá acesso à Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.