Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Burocracia e pecuinhas atrasam o início da reforma do Palestra

Justificativa para o atraso das obras é que registro da alteração do estatuto do clube ainda não foi finalizado

Juliano Costa, Jornal da Tarde

20 de setembro de 2008 | 11h14

 Valéria Goncalvez/AE  Reforma do Palestra Itália começaria em abril de 2009, mas oposição tenta atrapalharSÃO PAULO - O lançamento da pedra fundamental da Arena estava marcado para este sábado, aniversário da famosa "Arrancada Heróica", quando o Palestra virou Palmeiras ganhando do rival São Paulo e levando o título paulista de 1942. Mas problemas burocráticos e uma grande batalha política já começaram a travar o andamento da obra.Veja também:Marcos quer atingir marca de 500 jogos pelo PalmeirasVasco entra com ação na Conmebol contra o PalmeirasPara Luxemburgo, Vasco terá outra postura no domingoPalmeiras: Thiago Cunha é fruto de contrato com 'laranja' Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO evento foi adiado e não tem data para acontecer. A justificativa para o atraso é que o registro da alteração do estatuto do clube junto ao Cartório de Registro de Títulos e Documentos ainda não foi finalizado "por questões meramente burocráticas".A alteração no estatuto para a cessão de uso de superfície à WTorre foi aprovada pela Assembléia de Sócios há quatro semanas, mas sem a mudança no Cartório não há como começar as obras - por enquanto, foi feito apenas o cadastro da massa arbórea. E até mesmo essa tarefa, aparentemente tão simples, gerou dor de cabeça aos organizadores do projeto, já que sócios ligados ao grupo de oposição têm feito denúncias na Subprefeitura da Lapa contra a remoção de algumas árvores. Nesta semana o clube já foi multado em R$ 1.047,00 por derrubar de forma irregular duas palmeiras, e a fiscalização deve voltar ao Palestra nos próximos dias."É lamentável que gente do clube lute tanto assim contra um projeto grandioso como este da Arena", lamenta o diretor de planejamento Luiz Gonzaga Belluzzo.E se a briga entre situação e oposição já dava o que falar, o clima esquentou ainda mais nas últimas semanas com a proposta de Affonso Della Monica para mudar outra vez o estatuto do clube, desta vez para estender seu mandato, que termina em dezembro, até outubro de 2009. O grupo de Belluzzo, denominado ‘Muda Palmeiras’ e que conta com cerca de 60 conselheiros, é contrário à mudança, mas pode acabar cedendo com "medo" de ver a oposição, encabeçada por Mustafá Contursi, crescer. "Não podemos deixar acontecer o retorno daquela mentalidade retrógrada que quase destruiu o clube", diz Belluzzo.Enquanto isso, o projeto da Arena continua no papel. No cronograma oficial, a obra começa com a construção de um prédio de seis andares na área onde hoje existem três quadras poliesportivas. A reforma do estádio começaria em abril e terminaria em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.