Rubens Chiri/ São Paulo
Rubens Chiri/ São Paulo

Burocracia pode impedir São Paulo de usar quase metade dos reforços

Hernanes e Tiago Volpi aguardam registro de transferência; Biro Biro está em litígio com ex-clube

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

17 Janeiro 2019 | 04h30

O São Paulo foi uma das equipes que mais contrataram na atual janela de transferências: sete reforços chegaram ao Morumbi até o momento. Porém, devido a problemas extracampo, quase metade das caras novas corre o risco de não estar à disposição do técnico André Jardine para o primeiro compromisso oficial da temporada: a estreia no Campeonato Paulista, neste sábado, contra o Mirassol.

Os casos mais preocupantes envolvem o principal reforço, Hernanes, e o goleiro trazido para ser titular em 2019, Tiago Volpi. Ambos vieram de clubes de fora do Brasil, o que implica passar por dois registros, um internacional e outro já em solo nacional. Tanto a negociação envolvendo a saída do Profeta do Hebei Fortune, da China, quanto a que tirou Volpi do Querétaro, do México, precisam de um "carimbo" de fora, que no caso se chama ITC (sigla em inglês para "certificado de transferência internacional"). 

É apenas com esse certificado em mãos que o São Paulo consegue passar pelo segundo passo, o cadastro brasileiro, chamado de BID (Boletim Informativo Diário). Trata-se de um banco de dados da CBF com todos os registros de contratos feitos entre clubes e atletas. Sem estar catalogado nesse documento, o clube não pode, por exemplo, inscrevê-lo nas competições nacionais.

Já a situação do atacante Biro Biro foge um pouco ao controle do São Paulo, pois o jogador rescindiu de maneira unilateral seu contrato com o Shanghai Shenxin, da China, alegando atrasos no pagamento de salários. O Estado entrou em contato com o agente do jogador, Jorge Moraes. Apesar de pedir à reportagem que procurasse o São Paulo para falar sobre o assunto, o empresário afirmou que está "tudo caminhando bem", e disse que os atrasos superam os oito meses. A reportagem também enviou e-mail à Fifa para questionar se a entidade estava a par do litígio, mas, até o momento, não houve resposta.

Os três jogadores participaram dos amistosos da Florida Cup, nos Estados Unidos, mas não poderão disputar competições oficiais enquanto as situações não forem regularizadas. Os casos de Hernanes e Volpi, em tese, são fáceis de se resolver. Resta saber se a tempo do jogo de sábado. Além do trio, o clube contratou ainda Igor Vinícius, Léo, Pablo e Willian Farias.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.