Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Bustos ainda vê defesa do Santos longe do ideal e cobra um time mais 'matador'

Clube alvinegro contou com gol contra do Coritiba na Vila para conquistar o primeiro triunfo no Brasileirão

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2022 | 05h00

O Santos está há três jogos sem derrotas e em crescimento, a cada dia ganhando a cara de Fabián Bustos. O exigente treinador, contudo, ainda vê muito trabalho por fazer e cobra evolução do sistema defensivo para a visita ao Coritiba, agora pela Copa do Brasil, quarta-feira. Também quer um setor ofensivo mais decisivo e matador.

Desde o ano passado que o Santos sofre para passar um jogo em branco. Depois de segurar o 0 a 0 com o Fluminense, permitiu dois gols para a Universidad Católica e agora sofreu mais um, do Coritiba. Querendo ir longe na Copa do Brasil, Bustos sabe que tem de fechar a casinha no Couto Pereira e explorar bem os contragolpes.

"Falta muito para ajustar, temos de melhorar o tático defensivo para que o time não tenha tanto sufoco. Nesses quarenta, quarenta e poucos dias de trabalho, temos trocado muito o plantel, não tínhamos intensidade, não atacávamos bem, não recuperávamos... Nos últimos estamos massacrando em busca do resultado e falta ser um pouco mais efetivo", prega Bustos.

No primeiro tempo diante do Coritiba pelo Brasileirão, Bustos achou que o time desperdiçou chances preciosas que poderiam deixar a situação na etapa final menos traumática. Em sua visão, seis ou sete que poderiam resultar em mais gols.

Evitando dar armas para Gustavo Morínigo, ele não quis confirmar a manutenção do esquema para a Copa do Brasil, entretanto revela que é o seu predileto. "Treinador rival está vendo e não podemos dar prévia, mas não jogamos sempre da mesma maneira para conseguir o resultado", tenta despistar. "Esse sistema é o que mais me gosto, mas podemos usar 4-3-3, 4-2-3-1, 3-5-2... Vou analisar essa partida (de domingo) e ver como estão os jogadores. Se tivermos funcionamento, fazendo o que pedimos, acredito que temos chances de ganhar de novo, mas não há muito tempo de preparação."

Ricardo Goulart será a novidade no Couto Pereira. Foi poupado na Vila Belmiro. Pode simplesmente retornar na vaga de Léo Baptistão, ou com um dos garotos (Ângelo ou Marcos Leonardo) saindo para o adiantamento do centroavante. "Vamos definir no trabalho de terça-feira no Paraná", diz o comandante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.