Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

Caballero crê que defesa da Islândia vai dificultar estreia da Argentina na Copa

Goleiro da seleção afirma que precisará de vídeos para conhecer melhor o rival da primeira partida no Mundial

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 10h18

O goleiro Willy Caballero pregou respeito à Islândia, rival da Argentina na estreia da Copa do Mundo da Rússia, em partida pelo Grupo D que vai acontecer em Moscou, às 10 horas (de Brasília) deste sábado. Na reta final de preparação para o duelo, o jogador elogiou as qualidades defensivas do adversário, que pela primeira vez disputará um Mundial.

+ Reverenciado por Fifa, Putin diz que Copa vai mudar imagem da Rússia

+ Em campanha, Infantino disse que Fifa estava “clinicamente morta”

+ Por futebol, iranianas desafiam país e viajam para ver a Copa

"Temos trabalhado muito pensando na Islândia, sobre como atacar e como defender. É certo que vamos ter uma partida dura, eles se defendem bem, muito juntos. Vai ser muito difícil, sobretudo porque é uma estreia em Mundial. Vamos assistir mais vídeos nesta quarta-feira e na quinta também", afirmou o goleiro do Chelsea em coletiva de imprensa nesta quarta.

Suplente de Caballero, Nahuel Guzmán acredita que a seleção argentina não pode perder a calma. "Temos de ter paciência, circular a bola pelos lados do campo para tentar encontrar espaços e infiltrar em velocidade. Acredito que vá ser um jogo muito travado e devemos controlar a ansiedade também", analisou o goleiro reserva.

 

A Argentina realizou treino técnico de finalização nesta quarta-feira, em Bronnitsy, na Rússia, que contou com o meio-campista Ever Banega, recuperado de uma contratura muscular. O técnico Jorge Sampaoli tem agora todos os 23 convocados à disposição para trabalhar.

Depois de encarar a Islândia neste sábado em Moscou, a Argentina vai enfrentar a Croácia no dia 21, em Nijni Novgorod, e a Nigéria no dia 26, em São Petersburgo, em seus outros jogos válidos pela primeira fase do Mundial.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.