Cabañas admite 'cuidado para não cabecear bolas fortes'

O atacante Salvador Cabañas está perto de voltar aos gramados. Ele se recuperou de um tiro na cabeça que levou em janeiro de 2010, durante uma briga de bar, está treinando no 12 de Octubre, da terceira divisão paraguaia, e espera entrar em forma para retornar ao futebol profissional. No entanto, o próprio jogador admitiu que terá de tomar alguns cuidados, entre eles "não cabecear bolas fortes".

AE, Agência Estado

19 de março de 2012 | 15h52

"Preciso ter cuidado para não cabecear bolas muito fortes, pois ainda tenho a bala alojada na cabeça. Por isso sigo trabalhando na minha recuperação. Quero estar 100% para voltar a jogar sem medo e com prazer", declarou, em entrevista publicada nesta segunda-feira no site da Fifa.

Cabañas foi convidado para treinar com o 12 de Octubre em janeiro deste ano, mas seu retorno aos gramados dependeria de seu desempenho nesta etapa de sua recuperação. Para o jogador, a volta ao futebol será ainda mais especial por acontecer no clube que o lançou como profissional, no fim dos anos 1990.

"Tenho uma boa amizade com o presidente do clube (Luis Salinas), o que simplificou a negociação da minha vinda. Os meus companheiros são jovens que me viam jogar até recentemente e dizem que estão emocionados, que me admiram. Isso é muito importante, me sentir assim para terminar completamente a recuperação. Tomara que isso aconteça em breve", afirmou.

Aos 31 anos, o atacante segue a terapia para recuperação total de suas condições cognitivas. Ele tem uma bala alojada do lado direito de sua cabeça desde o dia 24 de janeiro de 2010, quando foi baleado no banheiro de um bar, o que faz, com que sua visão seja prejudicada.

Santiago Cabañas ficou conhecido no Brasil como uma espécie de carrasco. Ele teve grandes atuações pelo Paraguai diante da seleção brasileira, além de ter sido fundamental para a eliminação de Santos e Flamengo da Libertadores de 2008, quando atuava pelo América do México.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCabañas12 de Octubre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.