Henry Romero/Reuters
Henry Romero/Reuters

Cabañas piora com aumento da pressão no crânio

Depois de evolução pela manhã, médico registra progressão do edema cerebral do jogador e risco de morte

AE-AP, Agencia Estado

27 de janeiro de 2010 | 15h06

O estado de saúde de Salvador Cabañas piorou, já que o jogador sofreu nesta quarta-feira um aumento da pressão intracraniana. Assim, os médicos que atendem o jogador paraguaio não reduziram a dose de sedativos que administram ao jogador desde quando levou um tiro na cabeça.

O médico Enrique Martínez explicou que o astro do América do México e da seleção paraguaia segue em estado "grave" e assinalou que os sedativos não serão reduzidos, apenas 12 horas depois dele revelar que quando as doses foram diminuídas, Cabañas começou a despertar e a reconhecer algumas vozes.

"Aumentou o edema cerebral. Isto está sempre contemplado dentro das primeiras 72 horas e por isso vamos subir a sedação e veremos a evolução", disse o médico.

"Continua grave. Não diminuiu a gravidade, não vamos diminuir a sedação, assim o vamos manter por segurança, já que estamos observando um aumento da pressão intracraniana".

Cabañas, de 29 anos, foi ferido na madrugada de segunda-feira em um banheiro de um bar na Cidade do México. Ele foi operado por Martínez, que optou por deixar a bala dentro do crânio para evitar mais complicações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.