Cabañas segue com bala na cabeça e ainda corre risco

O jogador será homenageado pelos torcedores de seu clube, o América, em um ato no estádio Azteca

AE-AP, Efe, Agencia Estado

25 de janeiro de 2010 | 20h18

Fãs do jogador passam a noite em frente ao hospital em que o atleta está internado

(Foto: Stringer/Reuters)

 

O atacante paraguaio Salvador Cabañas ainda segue em estado muito grave de saúde após a realização de uma cirurgia para tirar uma bala de sua cabeça. Durante o procedimento, no entanto, os médicos desistiram de retirar o projétil temendo causar danos ainda maiores ao atleta.

 

Assim, o jogador segue com um quadro estável, embora ainda corra risco de morte. "Não podemos assegurar que ele está fora do risco de vida", explicou o médico Ernesto Martínez em coletiva de imprensa, realizada nesta segunda-feira, na Cidade do México.

O Procurador-Geral Miguel Angel Mancera, após visitar o bar, declarou que aparentemente o ataque não teria sido uma tentiva de assalto, como se especulava. Mas através de um vídeo de cinco minutos do bar em que o jogador estava foi possível identificar os dois agressores. De acordo com Mancera, os supostos envolvidos são conhecidos como 'JJ' ou 'El Modelo' e 'Contador' ou 'Paco'.

O primeiro tem cerca de 35 anos de idade, 1,77 m de altura e é um frequentador assíduo do bar. Já 'Paco', tem entre 40 e 45 anos de idade e 1,70 de altura. Miguel Mancera ressaltou que não tem nenhum dado que relacione os supostos envolvidos com o crime orgazinado. Mas que irá pedir mais informações sobre os dois para orgãos federais.

 

A direção do América, clube em que o jogador atua, declarou que irá abir as portas do estádio Azteca para que os torcedores da equipe expressem sua solidariedade a Cabañas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSalvador Cabañas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.