Divulgação/Nike
Divulgação/Nike

Presidente da CBF revela que seleção brasileira estreará na Copa América de camisa branca

Rogério Caboclo contou a novidade durante seu discurso de posse

Fábio Grellet e Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 17h29
Atualizado 09 de abril de 2019 | 18h20

A seleção brasileira terá um terceiro uniforme a partir deste ano. Em seu discurso de posse, o novo presidente da CBF, Rogério Caboclo, anunciou que a equipe do técnico Tite jogará com uma camisa branca na estreia da Copa América diante da Bolívia, no dia 14 de junho, no estádio do Morumbi, em São Paulo. O uniforme não era utilizado oficialmente há mais de seis décadas.

"Vamos jogar a partida inaugural da Copa América com a camisa branca, como vestiu a primeira seleção brasileira a vencer a competição, há 100 anos, em 1919", destacou Caboclo.

A camisa branca foi utilizada como a principal da seleção nas primeiras quatro décadas da equipe, entre 1914 e 1952. Ela foi aposentada por decisão de cartolas da então Confederação Brasileira de Desportos (CBD, que antecedeu a CBF) por considerarem que dava azar - o Brasil vestiu branco na derrota que deu o título ao Uruguai na Copa do Mundo de 1950, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Veja mais fotos da nova camisa do Brasil

Desde então, a seleção nunca mais atuou com o uniforme em partidas válidas por torneios oficiais. A última vez que o Brasil entrou em campo de branco foi em um amistoso contra a França, em 2004, em partida que marcou o centenário da Fifa. A seleção jogou com a camisa branca apenas no primeiro tempo. O jogo acabou no empate por 0 a 0.

MARCA - Rogério Caboclo também apresentou o "novo" escudo da CBF. O desenho é semelhante ao utilizado até então, mas com linhas mais suaves e aspecto mais moderno. "Nosso compromisso é fazer com que a nossa marca reflita a melhor brasilidade. A que acredita nas pessoas e nos valores do esporte, inclusivo e tolerante, que funciona como plataforma de transformação", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.