Cabofriense e Volta Redonda tranqüilos

Evitar que a euforia dos torcedores atrapalhe os jogadores é uma das principais preocupações dos técnicos da Cabofriense, Paulo César Gusmão, e do Volta Redonda, Dário Lourenço, que se enfrentam domingo no Maracanã, decidindo uma vaga à semifinal da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Apesar de reconhecerem que o apoio da torcida é fundamental, ambos treinadores destacaram que os atletas não podem perder a concentração e se iludir com o atual momento.Em Cabo Frio, distante 154 quilômetros do Rio, 20 ônibus já foram fretados para levar os torcedores ao Maracanã. Na cidade da Região dos Lagos, a torcida organiza uma grande festa e as pessoas desfilam pelas ruas com bandeiras, camisas e faixas alusivas ao clube. E, para evitar o clima de "já ganhou", o técnico da Cabofriense optou por isolar o grupo. "A localização do nosso Centro de Treinamento ajuda porque fica longe do centro de Cabo Frio. Quanto à euforia dos torcedores, procuramos tirar algum proveito disso para motivar mais os jogadores", disse Gusmão. "Mas, quero que eles vejam somente a alegria que eles podem proporcionar às pessoas com o trabalho deles." Em Volta Redonda, no Sul Fluminense, o clima de festa é o mesmo de Cabo Frio. A cidade, que fica a 129 quilômetros da capital, também já fretou 20 ônibus para os torcedores. E a exemplo de Gusmão, o técnico Dário Lourenço também pediu aos jogadores que aproveitem a alegria dos torcedores para ganharem motivação para o confronto.O técnico do Volta Redonda ainda destacou sua satisfação pelo fato de a partida ter sido mudada de sábado para domingo. "Ganhamos mais um dia de descanso e isso é bom, porque ajudará mais em nossa preparação", destacou.

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2005 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.