Fabio Menotti-|Ag. Palmeiras|Divulgação
Fabio Menotti-|Ag. Palmeiras|Divulgação

Cada gol de Barrios pelo Palmeiras custou cerca de R$ 1,5 milhão

Bancado por patrocinadora, paraguaio reforça o Grêmio depois de 14 gols marcados pelo ex-clube

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 Fevereiro 2017 | 16h21

A passagem de um ano e sete meses do atacante Lucas Barrios pelo Palmeiras acabou nesta quarta-feira com a rescisão de contrato e o fim de um período com resultados abaixo das expectativas. O atacante paraguaio recebia o salário mais alto do elenco, R$ 1 milhão por mês, soma que ao longo dos 19 meses no Alviverde fez cada gol dele custar cerca de R$ 1,5 milhão.

A conta, porém, não afetou o Palmeiras. Todo o gasto com pagamentos, como salários e luvas, foi bancado pela patrocinadora master, a Crefisa. A empresa investiu na contratação do reforço, em julho, de 2015 com a aposta de que o paraguaio se transformasse em artilheiro do Palmeiras. Mas em 45 partidas o atacante marcou somente 14 gols e passou os últimos meses na reserva.

A condição de suplente irritou o paraguaio. Barrios conversou com a diretoria sobre a situação e depois de comum acordo, rescindiu o vínculo, que iria até julho de 2018. O rompimento do acordo liberou a Crefisa de arcar com cerca de R$ 12 milhões em salários até a data do fim do vínculo. O jogador vai reforçar o Grêmio por uma temporada, em contratação já oficializada na noite de quarta-feira.

A contratação do colombiano Miguel Borja, a preferência atual por Willian e a consequente reserva fizeram Barrios perder espaço no elenco em 2017. No Grêmio, o paraguaio deve ser titular do time na disputa da Copa Libertadores.

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.