Reuters
Reuters

CAF mantém multa, mas não exclui Tunísia da Copa Africana

Entidade ameaçou excluir país por 'conduta violenta dos jogadores'

Estadão Conteúdo

31 Março 2015 | 12h44

A Confederação Africana de Nações (CAF) rejeitou nesta terça-feira o apelo apresentado pela Tunísia contra uma multa de US$ 50 mil aplicada ao país por causa de conduta violenta de seus jogadores durante a Copa Africana de Nações. Entretanto, a entidade não excluiu os tunisianos da próxima edição da competição, como chegou a ameaçar.

A decisão desta terça foi oficialmente anunciada depois de a Federação Tunisiana de Futebol ter feito um pediu formal de desculpas após acusar a CAF de ser tendenciosa contra o país.

O caso que motivou a punição aconteceu em 31 de janeiro, quando um polêmico pênalti no minuto final do tempo normal ajudou Guiné Equatorial, anfitriã do torneio, a empatar com a Tunísia e depois vencer por 2 a 1 na prorrogação. O resultado levou os donos da casa para as semifinais do torneio.

Furiosos, alguns jogadores da Tunísia deram socos e chutes no árbitro após o final da partida e dirigentes do país acusaram naquela ocasião o juiz de ter favorecido Guiné Equatorial de forma tendenciosa. O apelo apresentado pelos tunisianos foi ouvido em 13 de março, em Dacar, no Senegal, e o país africano agora ao menos teve como consolo o fato de que poderá disputar as Eliminatórias para a Copa Africana de 2017, marcadas para começar em junho deste ano.

A Federação Tunisiana de Futebol também acionou a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a punição anteriormente, mas confirmou que irá desistir deste apelo no máximo tribunal esportivo mundial, tendo em vista a decisão anunciada pela CAF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.