Cafu quer levar alegria a Brasília

O capitão da Seleção Brasileira espera que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteja presente domingo no Estádio Mané Garrincha para o jogo que deverá garantir o Brasil na Copa do Mundo da Alemanha. O Brasil enfrenta o Chile às 16h, precisando vencer para não depender do resultado da Colômbia, que joga duas horas mais tarde. Ainda no aeroporto Santos Dumont, no Rio, onde parte da delegação nacional embarcou nesta terça-feira de manhã num dos ônibus da CBF com destino a Teresópolis, Cafu comentou a ´triste´ situação do povo brasileiro com as denúncias de corrupção no atual governo, mas se comprometeu a levar um pouco de alegria à Capital Federal."Brasília precisa de um pouco de paz e de alegria. Nada melhor então que uma partida da Seleção Brasileira com vitória. E uma partida importante, que poderá garantir o País na próxima Copa do Mundo", disse o lateral, um dos principais jogadores do técnico Carlos Alberto Parreira.O corintiano Lula ainda não confirmou presença. Estará em Brasília, mas ainda não sabe se irá ao jogo. O convite formal lhe foi feito na última quinta-feira pelo presidente da Federação Metropolitana de Futebol, de Brasília, Fábio Simão, e pelo ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz. Lula ficou de pensar.A preocupação do presidente diz respeito ao comportamento do público no estádio - 41 mil pessoas. A assessores, Lula tem dito não se sentir preparado nesse momento para enfrentar a opinião pública, quando seu governo e parceiros são acusados de desvio de dinheiro. Teme vaias, o que lhe trará um desgaste desnecessário. Cafu oferece o futebol da Seleção Brasileira para aliviar o clima tenso em Brasília. E diz que o presidente será bem recebido."Vamos jogar em casa e valendo a classificação do Brasil para mais uma Copa do Mundo. Isso aumenta a nossa responsabilidade, mas não a disposição de o time encarar os chilenos. A motivação que temos em defender a Seleção é a mesma em qualquer partida", comentou. "E uma classificação antecipada dará um pouco de alegria ao povo brasileiro." Cafu não atropela etapas da Seleção. Por isso, recusa-se a comentar um possivel sexto título sem antes ter garantido a vaga matematicamente."Não posso pensar em mais uma conquista se ainda não estamos garantidos. Vamos por partes. Vamos primeiros nos classificar, depois fazer a primeira partida no Mundial e só depois pensar na decisão", ensinou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.