Caio Júnior aposta na Copa do Brasil para afastar má fase

Há cinco rodadas sem vencer no Campeonato Paulista (duas derrotas e três empates), o técnico do Palmeiras, Caio Júnior, declarou nesta segunda-feira na Academia de Futebol que aposta na Copa do Brasil para reverter a má fase no Estadual. A equipe paulista enfrenta na próxima quarta-feira o Operário-MT, no Estádio Verdão, em Cuiabá."A Copa do Brasil é uma válvula de escape. É a possibilidade de o time ganhar confiança e recuperar a auto-estima. É outra competição. Além disso, usa o sistema mata-mata e dá a possibilidade de disputar a Copa Libertadores no ano que vem", comentou o comandante palmeirense à TV Globo.Antes mesmo do empate com o Bragantino, no sábado, Caio Júnior, que foi contratado no início do ano após classificar o Paraná pela primeira vez à Libertadores, já havia confirmado que a sua situação no Palmeiras está delicada, mas voltou a falar sobre o assunto nesta segunda. O time do Palestra Itália ocupa a nona colocação no Paulistão, com 12 pontos, sete a menos que o Santos, que também soma um jogo a menos. "O treinador no Brasil está sempre correndo perigo. Como disse o Muricy [Ramalho, treinador do São Paulo], técnico aqui tem que ganhar até coletivo. Mas no Palmeiras está faltando acertar detalhes. Quando o time ganhar, tudo ficará bem", afirmou.Caio Júnior também reclamou da falta de oportunidades de manter o mesmo time na seqüência das partidas. "Tenho um time na cabeça, mas não estou conseguindo colocá-lo em campo. Sempre tem algum problema", discursou.Ele não contará com seis titulares: os atacantes Edmundo e Osmar, o zagueiro Dininho, os laterais Michael e Paulo Baier e o volante Pierre, todos lesionados. Os seis jogadores sequer irão viajar com a delegação para Cuiabá. O time titular deve ser formado por Marcos; Amaral, David, Edmílson e Leandro; Francis, Wendel, Martinez e Valdívia; William (Cristiano) e Florentín.Desculpas de MartinezO técnico contou ainda que foi conversar com o volante Martinez, que reclamou de ter sido substituído no sábado. "Jogador não tem nenhum direito de reclamar da parte técnica ou tática da equipe. Isso é um ponto básico na minha filosofia de trabalho", disse Caio Júnior, aos jornalistas. "Por isso, fui falar com o Martinez e ele teve a hombridade de pedir desculpas na frente do grupo. Às vezes isso até fortalece o elenco", emendou o treinador.Atualizado às 19h55

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.