Caio Júnior bota fé em seu trabalho e aposta no futuro

Contestado por parte da torcida, Caio Júnior diz não ter se arrependido ao trocar o calmo Paraná - que vai bem na Copa Libertadores deste ano - pelo agitado Palmeiras, que não conquista um título importante desde 1999.Nem a pressão da torcida assusta o técnico, de 41 anos. ?Tudo está sendo mais difícil do que eu imaginava, mas o torcedor tem que tentar se colocar no meu lugar. Ninguém quer mais o sucesso do Palmeiras do que eu.?Caio emendou: ?Dei um grande passo na carreira porque acreditei num projeto. E se um dia eu sair daqui, será de cabeça erguida, porque estamos fazendo um grande trabalho nas equipes de base e revelando atletas que depois podem gerar lucro para o clube.?O técnico citou que já dispensou do time B ?mais de 20 jogadores com mais de 25 anos, que estavam encostados e ninguém falava nada?. Sobre as críticas, disse: ?Vários treinadores passaram por aqui e foram criticados. A culpa era deles? Acho que não.?Grana atrasada não é problemaA diretoria do Palmeiras admite que parte dos salários dos jogadores continua atrasada, mas afirma que isso não é motivo para gerar ?corpo mole? na equipe - já são seis rodadas sem vitórias. ?Estamos seguros de que uma coisa não tem nada a ver com a outra?, disse o vice-presidente Gilberto Cipullo. ?Falamos com os atletas e eles estão cientes do nosso esforço em colocar tudo em dia. Posso garantir que isso não está influenciando o rendimento do time.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.