Caio Júnior não vai sair, reforçam diretores do Palmeiras

Após o empate em 1 a 1 com o Rio Claro, no Palestra Itália, mais uma vez a diretoria do Palmeiras precisou ir ao vestiário para sair em defesa do técnico Caio Júnior. ?Ele tem e vai continuar tendo o nosso respaldo?, garantiu o vice-presidente Gilberto Cipullo. ?O Caio só sai se quiser. Nosso projeto não é para dar resultados imediatos, mas a médio prazo e o contrato dele é de um ano.?Caio Júnior agradeceu o apoio. ?Felizmente, essas pessoas acreditam em mim. Isso me tranqüiliza?. O técnico, porém, sabe que tranqüilidade é tudo o que a torcida não tem após seis jogos sem vitória no Paulistão. Por isso, pede calma aos torcedores. ?Eles têm que entender que já não estamos mais na época da Parmalat, que contratava vários jogadores de seleção brasileira. Se ela não apoiar, outros times também vão vir aqui para tirar proveito desse clima de instabilidade?.Caio teve dificuldade para explicar o motivo de o Palmeiras não ter vencido o time de pior ataque (cinco gols) e segunda defesa mais vazada (18 gols) do Paulistão. ?O futebol hoje está muito nivelado. O Rio Claro veio bem armado pelo Márcio Araújo. Mas mesmo assim, conseguimos criar várias chances de gol. O problema é que voltamos a errar muito.?O técnico criticou o excesso de preciosismo de Valdivia nas conclusões e a pontaria torta do estreante Alemão. ?Ele perdeu uma chance incrível de gol! Mas é preciso dar crédito, porque estava havia três meses sem jogar e não é fácil estrear nessa pressão.?O próximo jogo é contra o São Caetano, domingo, às 16 horas, no Anacleto Campanella. O zagueiro Edmílson, que ontem cumpriu suspensão, pode voltar. Já o atacante Edmundo, recuperando-se de tendinite no joelho, será reavaliado terça-feira pelos médicos para saber se terá condições de jogo, assim como o zagueiro Dininho e o volante Pierre, também lesionados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.