Caio Júnior revela que tinha planos de treinar o Grêmio

O técnico Caio Júnior realizou um sonho nesta segunda-feira, ao ser apresentado como treinador do Grêmio. Ex-jogador do próprio clube, o novo comandante do time tricolor revelou que tinha como projeto pessoal um dia treinar a equipe gaúcha, o que será possível a partir da próxima temporada.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2011 | 22h09

"Eu tinha como projeto treinar o Grêmio mais cedo ou mais tarde. Hoje eu me sinto preparado para este desafio. Tem profissionais aqui que me viram crescer. Ver essas pessoas me dá vontade de trabalhar ainda mais", falou o treinador ao ser apresentado no Estádio Olímpico.

"Em 1980, com 15 anos, cheguei aqui para ser jogador de futebol. Morei aqui no Olímpico, conquistei títulos, fui para a Europa e consegui minha independência financeira por causa do Grêmio. Saí em 1987 com o presidente Paulo Odone e volto agora, 24 anos depois com a missão de ser treinador", disse Caio Junior, apresentado pelo mesmo presidente de mais de duas décadas atrás.

O treinador, demitido do Botafogo três rodadas antes do Brasileirão, chega para o lugar de Celso Roth, que também não agradou no Olímpico e não teve seu contrato renovado. Caio Júnior sabe que o time precisa render mais em 2012. "O Grêmio vive um momento de transição e sabemos que não foi um ano bom em termos de resultados. Existe uma necessidade de mudança e iremos trabalhar para começar bem a temporada de 2012. Não vai faltar vontade para isso", garantiu.

Além de projetar o futuro, Caio Junior lembrou do seu tempo de jogador do clube: "O título gaúcho de 1985 foi muito importante para mim. Fui lançado naquele ano pelo Rubens Minelli e fiz o gol do título. Além disso, fui o artilheiro daquele campeonato", disse o ex-centroavante do Grêmio. Como jogador, ele atuou até 1999, quando se aposentou jogando no interior do Paraná.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioCaio Júnior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.