Caixa fecha com Bahia e Goiás e patrocínios a clubes chegam a R$ 127,5 mi no ano

Ao todo, banco estatal financia 15 clubes no País

Murilo Rodrigues Alves, Estadão Conteúdo

16 Agosto 2016 | 18h18

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira que assinou patrocínio para os clubes de futebol Bahia e Goiás. O valor do contrato firmada com o time baiano é de R$ 2 milhões e a duração do mesmo é até 31 de janeiro de 2017. O patrocínio fechado com a equipe goiana é de R$ 1,5 milhão e vai até 31 de dezembro deste ano.

Ao todo, a Caixa vai desembolsar R$ 127,5 milhões em patrocínios a clubes de futebol neste ano. A lista dos clubes com patrocínio master - que permite a marca do banco estatal seja estampada nas camisas, além de outras contrapartidas - inclui 15 clubes. São eles: Corinthians (R$ 30 milhões), Flamengo (R$ 25 milhões), Atlético Mineiro (R$ 12,5 milhões), Cruzeiro (R$ 12,5 milhões), Vasco (R$ 9 milhões), Coritiba (R$ 6 milhões), Sport (R$ 6 milhões), Vitória (R$ 6 milhões), Chapecoense (R$ 4 milhões), Figueirense (R$ 4 milhões), Atlético de Goianiense (R$ 2 milhões) e CRB (R$ 1 milhão), além de Bahia e Goiás.

O ex-presidente da Caixa Jorge Hereda é torcedor do Bahia. É a primeira vez que o banco patrocina o clube baiano. Hereda já chegou a ser vaiado pela torcida do Bahia no Fonte Nova, em Salvador, porque o banco só patrocinava o arquirrival Vitória.

"A Caixa vislumbrou a oportunidade de contratar outros clubes nos Estados em que já está presente e onde existe um expressivo potencial de negócios. O apoio ao futebol, assim como a outras modalidades esportivas, aumenta a visibilidade da nossa marca e contribui com o desenvolvimento do esporte", afirmou o superintende nacional de Promoção e Eventos da Caixa, Gerson Bordignon.

O futebol foi incluído em 2012 entre as modalidades patrocinadas pela Caixa. O banco usou a estratégia de fechar a assinatura dos patrocínios em troca da gestão de folhas de pagamento, fechados com algumas prefeituras e governos estaduais.

Além dos clubes, em 2016 a Caixa patrocina também os seguintes campeonatos: Copa Verde (R$ 2 milhões), Copa do Nordeste (R$ 3,6 milhões), Brasileirão Feminino (R$ 10 milhões), Torneio Internacional de Futebol Feminino (R$ 400 mil) e Campeonato Brasileiro Séries B e C (R$ 2,2 milhões).

OUTROS ESPORTES - A Caixa afirma ser a maior patrocinadora do esporte nacional, vinculando sua marca a modalidades como atletismo, ginástica, ciclismo e luta olímpica, além do apoio ao paradesporto.

O investimento no período de 2013 a 2016 para a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) é de R$ 90 milhões; para a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), no mesmo período, o valor é de R$ 35 milhões. Já para a Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA), os recursos são da ordem de R$ 11,2 milhões. Para o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), R$ 120 milhões. Para o ciclismo, serão investidos R$ 17 milhões no quadriênio.

O banco também é patrocinador das ligas nacionais de basquete. O patrocínio à Liga Nacional de Basquete e à Liga de Basquete de Feminino se estende até 2020. Em quatro anos de contrato serão investidos R$ 32 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.