Caju admite nervosismo, mas aprova estreia no Santos

Caju admite nervosismo, mas aprova estreia no Santos

Aos 19 anos, o lateral-esquerdo foi a grande surpresa na escalação do técnico Enderson Moreira e estreou entre os profissionais

SANCHES FILHO, O Estado de S. Paulo

22 Setembro 2014 | 19h13

O último domingo ficará para sempre na memória do jovem Caju. Aos 19 anos, o lateral-esquerdo foi a grande surpresa na escalação do técnico Enderson Moreira e estreou entre os profissionais do Santos logo como titular, na vitória por 3 a 1 sobre o Figueirense, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Ele mesmo admite ter ficado nervoso durante a partida, mas sua atuação rendeu elogios do comandante santista.

"Primeiramente, eu nem sabia que ia começar jogando. O professor me disse logo após o almoço, fiquei muito nervoso. O pessoal me ajudou bastante. O Robinho, o Alison, o Lucas Lima, o David Braz, os caras todos me apoiaram", declarou o jogador, que "foi muito bem" na partida, segundo Enderson.

Caju foi reserva do time de juniores do Santos na conquista da Copa São Paulo deste ano e acabou promovido aos profissionais no mês passado, ainda com Oswaldo de Oliveira no comando. "Eu cheguei aqui no Santos no ano passado, em agosto. A gente trabalhou lá no juniores com o Pepinho (técnico do time sub-20). O professor Oswaldo me subiu, já estou aqui faz um mês. Surgiu essa oportunidade", comentou.

Mas nem tudo foi comemoração para o jovem lateral. Apesar dos elogios de Enderson Moreira, ele admitiu ter ficado bastante nervoso em sua primeira partida como profissional. "Minha dificuldade foi mais na marcação. O nervosismo atrapalhou muito."

Agora, ele espera uma sequência para mostrar de fato todo seu potencial e prometeu evoluir nas próximas partidas. "No próximo jogo acho que vou me soltar mais e dar uma melhorada boa. Foi mais difícil do que tudo. Estou tremendo até agora", disse Caju, que deve ser mantido na equipe para pegar o Atlético-MG, quinta-feira, em Belo Horizonte.

Mais conteúdo sobre:
futebolSantos FCCaju

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.