Caldense confia em seus números para surpreender Atlético-MG na final do Mineiro

A Caldense inicia neste domingo mais um passo importante para fazer história no futebol mineiro ao entrar em campo para a disputa da final do Campeonato Mineiro contra o Atlético Mineiro, no Mineirão. Um dos maiores responsáveis por este momento do time de Poços de Caldas é Leonardo Condé, um dos treinadores mais jovens do Brasil com 37 anos. Além dele, o maior triunfo do time do interior, que tem uma folha salarial inferior a R$ 200 mil mensais, está em seus impressionantes números. A equipe tem a melhor campanha da fase classificatória, a melhor defesa (4 gols sofridos em 13 partidas) e disputa a final como a única equipe invicta da competição. Se considerados todos os finalistas já definidos dos Estaduais pelo Brasil, o time de Condé se junta ao Vitória da Conquista-BA e ao ABC-RN como os times que defenderão a invencibilidade na decisão.

Estadão Conteúdo

25 de abril de 2015 | 17h13

O treinador da Caldense reforça o objetivo traçado pelo clube para esta temporada. "Disputar a final do Mineiro é uma realização profissional para todos os envolvidos neste projeto. A diretoria tinha o objetivo de montar uma equipe competitiva e a dedicação que foi demonstrada desde o momento da escolha dos jogadores foi responsável por superarmos as expectativas e termos condições de brigar pelo título contra um gigante do futebol brasileiro", analisou Condé. "Disputamos este campeonato com muita vontade já na primeira rodada e, pouco a pouco, fomos cumprindo as metas e passando a almejar algo mais. Neste momento, a satisfação da população de Poços de Caldas e de todos que trabalham no clube é imensa. Mas a inevitável alegria não se transformou em euforia excessiva e nem interferiu na nossa preparação", alertou o técnico.

Sobre a receita para tentar surpreender o Atlético na final, o treinador reforça mais uma vez a seriedade da equipe demonstrada durante o Estadual como arma para o duelo. "Pudemos trabalhar com tranquilidade durante a semana, sabendo que a seriedade pode nos ajudar a fazer uma boa atuação e um jogo parelho contra o Atlético no Mineirão. Precisamos ter equilíbrio durante os 90 minutos, fazer o possível para não cometer erros e, assim, repetir o que conseguimos realizar de bom durante a campanha. Estou feliz com o empenho dos jogadores e iremos muito confiantes para o maior desafio de nossas vidas", ressaltou Condé.

Apesar de estar invicto, Condé minimiza a importância da invencibilidade no momento decisivo do Estadual. "Neste momento, todos nós sonhamos com o título sem escolher o roteiro. Acredito que o fato de chegarmos invictos e com a melhor defesa são fatores que aumentam a autoconfiança dos jogadores, já que, do outro lado, temos um adversário que possui um dos melhores plantéis do Brasil. Mas, a partir de agora, o mais importante é tentar fazer história contra um dos melhores times que o Atlético já montou. Contudo, os bons números nos fortificam e, agora, é preciso colocar em prática o que trabalhamos ao longo dos últimos meses e também ter esperança durante os 180 minutos", concluiu o treinador.

Léo Condé chega à final com 25 jogos no comando da Caldense. São 12 vitórias conquistadas, nove empates e apenas quatro derrotas, somando-se as partidas disputadas nas duas passagens do treinador pelo clube. O aproveitamento de 60% se destaca por ser um rendimento alto para um time sem a estrutura e poder financeiro dos clubes grandes do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.