André Rigue/estadão.com.br - 26/10/2010
André Rigue/estadão.com.br - 26/10/2010

'Calendário está perfeito', afirma o presidente da Federação Paulista

Del Nero está satisfeito com datas do Paulistão, mas, se pudesse, estenderia a competição

RAFAEL VERGUEIRO - estadão.com.br,

14 de janeiro de 2011 | 09h37

SÃO PAULO - O calendário do futebol brasileiro não costuma agradar jogadores, treinadores e departamentos médicos dos grandes clubes do País. Todos dizem que falta tempo para a pré-temporada e reclamam do excesso de jogos. Em São Paulo, a reclamação é quase geral quanto ao início do Paulistão neste fim de semana.

Times que disputaram o Brasileirão (Séries A e B) do ano passado fizeram somente cerca de 10 dias de preparação neste início de 2011. Ciente do descontentamento geral, o presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Marco Polo Del Nero, reconhece que as datas são apertadas, mas não pensa em fazer mudanças. "O Campeonato Paulista é o segundo torneio mais rentável para os clubes no Brasil, fica atrás apenas do Brasileiro."

Para Del Nero, a grandeza do Estado de SP não permite que seja feito um torneio estadual com menos de 23 datas, como acontece atualmente. "Eu até gostaria de ter 38 datas, com ida e volta, como era antigamente, mas estou satisfeito com este formato, o calendário está perfeito", declarou.

O presidente da FPF não acha viável nem bom financeiramente para os clubes fazer um Campeonato Paulista mais enxuto. "Se a televisão paga é porque a competição merece ter este número de datas, a TV não joga dinheiro fora."

Segundo ele, os times pequenos também nunca podem ser esquecidos. "Não podemos fazer um campeonato com 16 clubes (hoje, o Paulistão tem 20). Temos que ser justos com todos. Tem estadual pelo Brasil que tem oito clubes, e não consegue ter 10. Quem fala que o Campeonato Paulista precisa ter poucas equipes é porque não conhece o Estado", destacou.

Enxuto. Em 2003, o Paulistão teve somente 11 datas. O objetivo era privilegiar o Campeonato Brasileiro, que estreava naquele ano o sistema de pontos corridos, utilizado até hoje. Mas Marco Polo Del Nero não gostou. "Aquilo matava o interior, e foi feito por um interesse político momentâneo", disse. Na ocasião, o presidente da FPF era Eduardo José Farah. "Aos poucos eu consegui de volta as 23 datas."

Público. Nos jogos entre equipes pequenas no interior paulista o público costuma ser baixo. Del Nero reconhece o problema, e diz que a FPF pensa em soluções. "Já há projetos em andamento em São Caetano e Bragança Paulista", declarou.

Novidade. A partir desta temporada, alguns jogos das Séries A-2, A-3 e Segunda Divisão terão transmissão via internet, no site da FPF (www.futebolpaulista.com.br ). A ideia é possibilitar que torcedores vejam os jogos das suas equipes, já que nestes torneios não há presença da televisão. A novidade não vale para a elite do futebol estadual, a Série A-1, que tem todas as partidas transmitidas via Pay-Per-View.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.