Calor e curto intervalo não preocupam seleção, diz Cicinho

O lateral-direito Cicinho afirmou nesta quarta-feira que a seleção brasileira não está preocupada com o forte calor que pode enfrentar no domingo, em Munique, durante o jogo contra a Austrália, nem com o curto intervalo de tempo em relação ao jogo contra a Croácia. A partida será disputada às 18 horas locais, horário em que ainda é dia claro na Alemanha."Temos de superar tudo isso para vencer e conseguir a classificação", disse o jogador, logo depois de chegar o hotel Kempinski, em Königstein, vindo de Frankfurt, onde passou o dia de folga "fazendo compras". A seleção tem enfrentado dias de forte calor durante os treinos em Königstein, que serão retomados nesta quinta-feira, e a previsão do tempo para domingo, em Munique, é de sol aberto com trovoadas esparsas, e temperatura máxima de 26 graus centígrados."Estamos acostumados a enfrentar o calor no Brasil", afirmou Cicinho, talvez esquecendo-se que 20 dos 23 jogadores da seleção - ele inclusive - atuam no futebol europeu, às vezes sob neve e temperaturas negativas.Cicinho elogiou a atuação do lateral-direito Cafu na partida desta terça-feira, contra a Croácia, e disse que não tem maiores pretensões de tomar a posição do capitão do time durante a Copa. "Se eu jogar uns 15 minutinhos durante a Copa já ficarei satisfeito", disse.O técnico Carlos Alberto Parreira também voltou ao hotel, acompanhado do preparador físico Moraci Sant´Anna, mas nenhum dos dois deu entrevista. A folga da seleção termina às 22h30 desta quarta-feira, e na quinta a equipe retoma a preparação para o jogo contra a Austrália. Deve treinar dois dias em Königstein - a CBF não divulgou ainda a programação - e no sábado, véspera da partida, na Allianz Arena, palco da partida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.