Calor na estréia assusta Inglaterra, que pede água

A Copa está apenas começando e a Inglaterra já está pedindo água. Literalmente. Neste domingo, a Federação Inglesa reclamou da Fifa sobre a limitação de água para seus jogadores durante a vitória por 1 a 0 sobre o Paraguai, sábado, em Frankufrt. O calor no estádio era de 29 graus Celsius e os ingleses sofreram no segundo tempo. ?Nós vamos fazer um comunicado à Fifa. Os médicos chegaram a ficar preocupados?, disse Adrian Bevington, porta-voz da Federação Inglesa.A reclamação dos ingleses é que havia demora na entrega das garrafinhas de água aos jogadores, feita por voluntários da organização do torneio. A Fifa soltou um comunicado lembrando que as garrafas devem ser entregues nas mãos dos atletas, e não atiradas a eles, e que isso deve acontecer somente nas paradas do jogo. ?Por duas vezes fui à linha lateral e pedi água, mas por alguma razão, que não consegui entender, não me deram?, reclamou o meia Joe Cole. ?Minha garganta estava seca.? O calor e a falta d?água foram usados pelos ingleses como desculpa para a queda do rendimento da equipe no segundo tempo. ?Vocês não têm de idéia de como estava quente lá dentro?, disse o meia David Beckham.O jogo começou às 15h, horário local de Frankfurt. O que serviu para aumentar a sensação de calor no jogo foi a cobertura de acrílico do estádio, que funcionou como uma ?estufa?.O próximo jogo da Inglaterra é quinta-feira, contra Trinidad & Tobago, em Nuremberg - onde as temperaturas estão mais amenas. A preocupação é com o time caribenho. ?Eles mostraram contra a Suécia que têm qualidades?, disse Joe Cole.O técnico da Inglaterra, o sueco Sven-Göran Eriksson, que também reclamou do calor, deve repetir a escalação que bateu o Paraguai. O atacante Wayne Rooney, em fase final de recuperação de uma fratura no pé esquerdo, fica no banco, mas não jogará.Gol contra confirmadoTambém neste domingo, a Fifa confirmou como gol contra de Carlos Gamarra o único da vitória inglesa por 1 a 0, no sábado. O Grupo de Estudo da Fifa considerou a possibilidade de dar o gol para David Beckham, autor da cobrança de falta, mas, ao rever as imagens do toque de cabeça de Gamarra na bola, concluíram que o gol deveria ser considerado contra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.