Câmara aprova prorrogação de CPI

Numa demonstração de que ainda tem sobrevida para mais dois meses, a CPI da CBF/Nike aprovou nesta quinta-feira, por maioria prorrogar seus trabalhos até 13 de junho. "Nós precisamos justificar aos líderes (dos partidos) que nosso trabalho precisa de mais algum tempo para concluir as investigações", justificou o presidente da CPI, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP).Apenas o deputado o deputado José Lourenço (PMDB-BA) votou contra. Na reunião desta quinta-feira, a CPI aprovou várias quebras de sigilo e a convocação do ministro do Esporte e Turismo, Carlos Meles "para falar sobre a implantação na legislação esportiva", segundo o requerimento e do arquiteto Gil César Moreira, responsável pela administração do Mineirão.A CPI determinou a quebra do sigilo bancário do empresário Juan Figer, dos dirigentes da CBF, Marco Antônio Teixeira, José Carlos Salin e Antônio Osório da Costa e de federações de futebol em oito estados: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Maranhão e Amapá.Na sexta-feira da próxima semana, a CPI fará diligência da sede da CBF, no Rio de Janeiro, para examinar a contabilidade da instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.